Monster # 8

Por Rodrigo A. Machado
Data: 1 novembro, 2013

Monster # 8Editora: Panini Comics – Revista mensal

Autores: Naoki Urasawa (roteiro e arte).

Preço: R$ 10,90

Número de páginas: 208

Data de lançamento: Agosto de 2013

Sinopse

Doutor Tenma está em München e mantém Johan sob vigilância e sob sua mira, pois espera pelo momento adequado para atirar com seu rifle e eliminá-lo.

Enquanto isso, Lunge, da BKA, continua procurando o paradeiro de Tenma, que permanece como fugitivo da polícia.

Para impedir que Tenma cometa o erro de se tornar, de fato, um criminoso, os doutores Gillen e Reichwein precisam encontrá-lo o mais breve possível.

Positivo/Negativo

Monster consegue manter o clima de suspense em mais um volume. Com diversos personagens com seus objetivos interligados de forma surpreendente, Urasawa desenrola a trama em cada capítulo de forma para destacar cada um deles, mantendo o leitor vidrado e ansioso pelos próximos volumes – a série vai até o número 18.

O mangá é, de fato, um suspense policial, mas o autor é muito sutil ao colocar no roteiro quase uma história paralela, com um tipo de moral, para ensinar algo ou, pelo menos, tocar de forma especial os seus personagens principais ou até mesmo secundários. E, ainda assim, traz coisas importantes para a história ou para a construção do protagonista.

No capítulo 62, denominado Solo sagrado, ele faz isso de forma extremamente competente. Mas não é algo novo para os leitores de Naoki, pois quem lê 20th Century Boys, também publicado pela Panini, perceberá essa característica do autor em diversos momentos.

Até mesmo em seu trabalho de estreia, Beta! (inédito no Brasil), um one shot de 1983, o autor já demonstrava o seu potencial, embora seja algo bem diferente desses dois trabalhos lançados por aqui.

Outro ponto importante está ligado ao personagem Johan. Diversos mistérios envolvem o rapaz desde o primeiro volume, quando ainda menino. E ele sempre traz à tona a palavra “monstro”, com textos e pensamentos misteriosos, como também ocorre nesta edição.

Johan está ligado ao mal, às trevas, porém tudo indica que irá além dessa escuridão; e isso captura a atenção do leitor, sempre ávido pela explicação dessa grandiosidade que o personagem traz para a história.

Os desenhos continuam excelentes e ricos em detalhes, desde os cenários até as sombras vistas através de uma árvore exposta à luz solar. As expressões dos personagens transmitem seus sentimentos de forma exemplar.

A capa é belíssima, com uma síntese dos acontecimentos do volume. Pena que neste número não saíram o glossário e as notas explicativas, que vinham sendo publicados nos volumes anteriores.

Enfim, Monster é um dos melhores quadrinhos sendo publicado em terras brasileiras, independentemente do gênero.

Classificação

4,5

• Outros artigos escritos por

Assuntos Relacionados

.