Monster # 9

Por Rodrigo A. Machado
Data: 7 fevereiro, 2014

Monster # 9Editora: Panini Comics – Revista mensal

Autores: Naoki Urasawa (roteiro e arte).

Preço: R$ 10,90

Número de páginas: 208

Data de lançamento: Outubro de 2013

Sinopse

Durante a cerimônia de doação de livros do senhor Schuwald, na biblioteca da universidade, o Doutor Tenma se mantém escondido e aguarda a aparição de Johan, para, no momento adequado, efetuar o disparo e acabar com a vida daquele que, anos atrás, ironicamente, havia salvado, ao retirar uma bala de sua cabeça na mesa de cirurgia.

Enquanto isso, os amigos de Tenma correm contra o tempo para impedir que ele se torne, de fato, um assassino.

Será o momento da definição dos casos que rondam Johan e Tenma?

Positivo/Negativo

Desde o primeiro volume de Monster, após descobrir tantos crimes cometidos por Johan, o Doutor Tenma nunca esteve tão certo de que a melhor solução para tudo seria exterminá-lo.

Por ser um homem inteligente, para enfrentar o jovem Tenma se preparou. Foi atrás de treinamento, no qual aprendeu muitas coisas, dentre elas, a usar uma arma com precisão.

O personagem do médico é muito bem construído, como a maioria dos demais da série. Ao acompanhar gradativamente os volumes, o autor, usando o artifício de flashbacks e também acontecimentos no tempo presente, foi mostrando o caráter e o modo de pensar de Tenma, até este volume.

Isso tudo vem ao encontro do momento mais esperado por todos os leitores: quando Tenma tem em sua mira a cabeça de Johan. Será que a sua personalidade e o seu modo de pensar lhe permitirão tirar a vida de Johan?

Afinal, todo o passado dele foi salvando vidas, inclusive a do próprio Johan, e não as tirando das pessoas.

E essa decisão não diz respeito somente à personalidade do doutor, mas também de todas as pessoas envolvidas, que estão do lado dele e buscam impedir, de algum modo, que Tenma se torne um assassino.

A trama chega ao clímax, enquanto outros acontecimentos vão se desenrolando, mas todos interligados a Tenma e Johan. Alguns a favor e outros contra.

A arte detalhada de Naoki Urasawa se mantém maravilhosa, sem cair em qualidade em momento algum. Isso torna a leitura do mangá ainda mais agradável, pois combina com o excelente roteiro policial e de suspense, com momentos de ação e de certo terror psicológico.

Os pontos positivos da edição da Panini vão para o glossário, que se mantém desde a primeira edição, e uma síntese da trama na capa. Neste número, vale destacar as páginas coloridas publicadas como no original japonês.

Monster é, sem dúvida, um grande mangá. E ponto para a Panini, pela ótima decisão de assumir a obra, quando ela foi cancelada pela Conrad.

Classificação

5,0

• Outros artigos escritos por

.