O COMPLÔ – A HISTÓRIA SECRETA DOS PROTOCOLOS DOS SÁBIOS DO SIÃO

Por Fernando Viti
Data: 1 dezembro, 2006


Título: O COMPLÔ – A HISTÓRIA SECRETA DOS PROTOCOLOS DOS SÁBIOS
DO SIÃO
(Companhia
das Letras
) – Edição especial

Autor: Will Eisner (roteiro
e desenhos). Preço: R$ 36,00 Número de páginas: 148
Data de lançamento: Novembro de 2005.

Sinopse: Na forma de HQ, a gênese de uma das maiores e mais assustadoras farsas do anti-semitismo: Os Protocolos dos Sábios do Sião.

Em 1878, Maurice Joly escreve e publica O Diálogo no Céu e Inferno entre Maquiavel e Montesquieu. O que deveria ser um libelo contra o imperador francês Napoleão III, servirá, décadas depois, de base para os supracitados Protocolos, criados na Rússia pré-revolução de 1917.

A história apresenta ainda a luta incessante contra este instrumento da cultura do ódio ao longo do século XX.

Positivo/Negativo: O pensador francês Bernard-Henri-Lévy, em As Aventuras da Liberdade, quando discorre sobre a essência do totalitarismo, reflete sobre a paixão pela pureza: ” Pureza da raça, dizia um. Pureza do povo, dizia outro. Pureza era a única palavra que tinham na boca, esses loucos que nos prometiam uma humanidade regenerada.”

Mediante este perigosíssimo ideal da pureza, a cultura do ódio estabeleceu seu discurso da intolerância, da não aceitação do outro.

E o que seria o preconceito senão a mais assustadora forma de ignorância, à medida que, por ser juntamente “pré”, a aceitação deste “conceito” se faz sem o necessário questionamento dos princípios de um discurso?

Nestes primeiros anos do século XXI, quando os desafios do combate ao extremismo renovam-se, a última obra de Will Eisner é uma HQ que combina talento e coragem intelectual. O mestre, ao longo de Complô, leva o leitor a uma aventura sobre a importância da liberdade de pensamento e questionamento.

Nem mesmo a cansativa parte em que reproduz trechos das duas obras, comparando-as, torna a obra menos interessante. E a arte de Eisner, como sempre, é digna de todos os elogios possíveis.

A Companhia das Letras caprichou, e muito: papel, capa dura, impressão e letras estão ótimos.

Leitura obrigatória.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.