O Espinafre de Yukiko

Por Marcelo Oliveira
Data: 13 janeiro, 2006

O Espinafre de YukikoEditora: Conrad Editora – Edição especial

Autores: Frédéric Boilet (texto e arte).

Preço: R$ 25,00

Número de páginas: 144

Data de lançamento: Outubro de 2005

Sinopse

A partir de um inocente encontro com a jovem Yukiko, um quadrinhista francês se vê encantado pela bela jovem e por suas imperfeições.

Como ela está apaixonada por outro homem, ele propõe “um romance entre parênteses”, enquanto o outro rapaz se encontra fora da cidade. Assim, eles embarcam numa aventura.

Com o decorrer da história a intensidade da paixão e da obsessão do autor pela sua musa aumenta, a ponto de a própria trama ter sua realidade distorcida. À proporção em que o sentimento se torna mais forte, se eleva também o erotismo da história. Contudo, é preciso lembrar que este é apenas um “romance entre parênteses”.

Positivo/Negativo

Muito diferente da maioria dos títulos de mangá que chegaram até o Brasil, O Espinafre de Yukiko tem um tipo de narração bem peculiar. Em primeiro lugar, um narrador-personagem que é o próprio Frédéric Boilet (francês que vive e publica no Japão), mas que não tem seu nome pronunciado em momento algum.

Parte da história se passa através dos olhos perscrutadores do autor, com texto em primeira pessoa. Interessante notar, aliás, que o olhar dele é como uma máquina fotográfica que captura singelos elementos das paisagens e cenários, expondo-os em uma incrível riqueza de detalhes, por meio de sua arte.

Em contrapartida, há momentos em que a ação se desenrola em terceira pessoa. É quando o autor passa a ser retratado nos desenhos e os textos de Boilet são subjugados pelos diálogos entre os personagens.

A arte experimental e inovadora de Boilet é o ponto alto do livro. As imagens alternam momentos de profundo realismo (especialmente na composição dos cenários), passagens surreais (quase sempre nas ilustrações de Yukiko, a maioria bem subjetivas) e quadros em que ocorre a mescla de fantasia e objetividade.

Vale notar que Boilet mostra as mulheres japonesas cheias de imperfeições nos rostos e nas formas dos corpos, que acabam sendo alvo da percepção e da paixão do autor.

O texto do livro fica à margem da arte, servindo mais como apoio às imagens provocantes e detalhadas. Os comentários feitos em primeira pessoa, nos pensamentos ou no diário do autor, servem para reforçar a idéia de obsessão, já que não é rara a repetição destes.

O roteiro, apesar de ser linear, não segue um esquema muito rígido de tempo, devido ao clima obsessivo nele desenvolvido. Há muitas cenas sórdidas de sexo e outras tantas em que o autor declara sua paixão. Extremamente subjetivo, com o desenrolar da história o leitor com certeza se questionará sobre quem é realmente Yukiko, ou até se ela existe.

Depois se ser um dos convidados do 4º Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte, o autor do álbum esteve em São Paulo, no dia 10 de outubro, para o lançamento da sua obra, em um coquetel seguido de uma sessão de autógrafos. Na ocasião foi discutido o erotismo francês no mangá.

O Espinafre de Yukiko é basicamente uma obra autoral, em que Frédéric expõe sua paixão pelas japonesas e seu prazer em mesclar elementos ocidentais e orientais (que sob sua ótica não são muito diferentes). É uma história curta para aficionados por mulheres de olhos puxados, erotismo e paixões proibidas.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.