O HOMEM ARANHA # 1

Por Gilberto M. M. Santos
Data: 1 dezembro, 2004


Autores: Stan Lee (argumento) e Steve Ditko (arte).

Preço: NCr$ 0,40 (preço da época)

Número de páginas: 32 páginas (em preto-e-branco, formato 18 x
26 cm)

Data de lançamento: Abril de 1969

Sinopse: A revista conta com três histórias: O Incrível Homem-Aranha,
Homem-Aranha versus Camaleão
e Nada detém o Homem-Areia.

Logo na primeira edição, são apresentados vários aspectos da vida de Peter
Parker: o drama de consciência, o sentimento de culpa pela morte do tio,
a escola, o temperamento introvertido que o afasta dos colegas, a turma
de Flash Thompson, a genialidade e talento para a ciência, Tia May, J.
Jonah Jameson, o editor do “Terra Diário”.

O Homem-Aranha foi criado para ser o herói imperfeito, um ser humano comum
que, por acidente, adquiriu superpoderes e decide usá-los em prol do ganho
pessoal. Eis que as circunstâncias da vida mostraram-no que talvez aquela
não fosse a decisão mais acertada. Afinal, com grandes poderes, vêm grandes
responsabilidades.

Nesta edição é revelado um dos motivos da constante irritação de J. Jonah
Jameson com o Aranha: ciúmes. O editor achava um absurdo o mascarado,
e não seu filho (um astronauta famoso), ser considerado famoso e respeitado
pela juventude.

O fato de o Aranha salvar a vida de seu filho piora a situação, que é
entendida pelo tosco jornalista como uma artimanha para roubar o brilho
do feito do jovem astronauta.

Positivo/Negativo: A Ebal iniciou sua série utilizando exatamente
a primeira edição de Amazing Spider-Man. Infelizmente, não publicou
na mesma revista a origem do personagem, mostrada originalmente em Amazing
Fantasy # 15
. Além disso, a seqüência de histórias não é a mesma da
série americana.

Na revista, o Homem-Aranha se encontra com o Quarteto Fantástico e enfrenta
alguns de seus piores vilões: o Camaleão e o Homem-Areia. Na série original,
antes deste último, o herói enfrenta o Abutre, o Consertador e o Dr. Octopus.

A arte de Ditko é bastante competente. Se hoje o herói aracnídeo apresenta
muitos músculos, não era assim que Stan Lee o queria, motivo pelo qual
Kirby foi preterido como artista da série.

O estilo de Ditko combinava perfeitamente com o herói franzino imaginado
pelo criador da Marvel. Sua arte é extremamente bonita e detalhada.
O desenhista deu o azar de ser sempre comparado com Jack Kirby e, posteriormente,
com John Romita, ambos mais talentosos.

Esta, sem dúvida, é uma revista clássica, além de rara, constituindo-se
numa peça de coleção. As histórias mostradas são de altíssimo nível, e
lendo os primeiros passos do herói é fácil perceber porque ele se tornou
um dos maiores ícones da industria das HQs.

Destaque para a bela capa produzida por Jack Kirby e Steve Ditko.

Se esta edição é difícil de ser encontrada, o mesmo não ocorre com Spider-Man
Collection # 1
, lançamento da Editora Abril que traz, numa
edição bastante razoável, as primeiras histórias do personagem. A revista
era vendida junto com uma fita de vídeo da série animada produzida na
década de 1990.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.