O NATAL DA TURMA DO SNOOPY

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2010

O NATAL DA TURMA DO SNOOPY

Editora: Cosac Naify – Edição especial

Autor: Charles M. Schulz (texto e arte) – Originalmente em A Peanuts Christmas.

Preço: R$ 55,00

Número de páginas: 112

Data de lançamento: Novembro de 2010

 

Sinopse

Coletânea de tiras e páginas dominicais em que Charlie Brown, Snoopy, Woodstock e seus amigos vivem o clima das gestas de final de ano.

Positivo/Negativo

Este terceiro álbum de Snoopy pela Cosac Naify traz, de cara, duas diferenças em relação aos anteriores (Snoopy extraordinário e Snoopy – Primeiro de Abril): é todo impresso em preto e branco e tem o dobro de páginas.

Mas apresenta os mesmos problemas que outras coletâneas temáticas de Snoopy demonstraram, por exemplo, na Conrad: por mais genial que Schulz fosse, não há como evitar a repetição de situações – ainda mais num livro que compila tiras de natal das décadas de 1950 a 1990.

Outro senão do álbum é apresentar as tiras por décadas, porém em ordem decrescente. Assim, parte-se do traço “atual” dos personagens para o antigo. Acompanhar a evolução do desenho de Schulz de trás para frente é, no mínimo, estranho.

O mesmo vale para os personagens, que no começo da leitura já estão mais desenvolvidos e, nas páginas finais, apresentam suas características iniciais.

Além disso, é esquisito ver Rerun, irmão mais novo de Lucy e Linus, que só surgiu anos depois, nas páginas iniciais do livro, e os clássicos, porém hoje sumidos, Violet e Shermy nas finais.

A tradução, da Intercontinental Press também prejudica a obra. Além de abrasileirar Violeta (não custava nada, e seria até mais producente, seguir o que está sendo adotado em Peanuts Completo, da L±), em algumas tiras optou-se por adaptações absolutamente desnecessárias.

A todo momento, fica claro que os personagens vivem nos Estados Unidos. Então, é no mínimo inadequado usar reais no lugar de dólares – inclusive em tiras dos anos 70, quando nossa moeda era outra! Na mesma década, Snoopy diz que iria ao “Programa do Jô”, que nem existia ainda. Obviamente, era uma menção a algum entrevistador norte-americano famoso e, por se tratar de um material clássico, valia a pena deixar o original e usar uma notinha editorial.

Por fim, o último capítulo de O Natal da turma do Snoopy já traz tiras publicadas nos livros da recente coleção Peanuts Completo, o que comprova o quanto o licenciamento desse material é confuso no Brasil.

Graficamente, o livro é impecável, mas a junção desses pequenos problemas diminui o prazer que é ler as tiras, de qualquer época, de Peanuts.

Vale mencionar que a editora adotou uma estratégia diferenciada para o álbum: até fevereiro de 2011, ele será vendido com exclusividade na rede de livrarias Saraiva.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.