O Sinal

Por Talita Grass
Data: 2 março, 2018

O SinalEditora: Jupati Books (Marsupial) – Edição especial

Autor: Orlandeli (roteiro e arte).

Preço: 36,00

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Dezembro de  2017

Sinopse

Afrânio é um homem de meia-idade, frustrado e preso em uma rotina sem nenhuma perspectiva. Ele passa seus dias apenas mirando o sucesso e o protagonismo das outras pessoas. Cansado do fracasso, começa uma busca por sinais que possam lhe indicar o melhor caminho a seguir na vida.

Positivo/Negativo

A grande maioria das pessoas já passou por momentos de dúvida ou incerteza, em que qualquer sinal ajudaria a fazer uma escolha mais sábia. Em O Sinal, Afrânio lança todos os dias um olhar derrotista sobre a vida e, constantemente, passa a observar o sucesso alheio.

Com a falsa ideia de que tudo chegou como mágica na vida das pessoas, ele busca de forma obsessiva por um sinal que o leve ao sucesso imediato. No entanto, não consegue responsabilizar-se pela própria jornada existencial e, infelizmente, acaba delegando o seu poder de escolha a eventos aleatórios.

Assim, mergulha em um abismo interior e começa a ter sonhos fantasiosos com um monstro que lhe entrega alguns sinais um pouco confusos e difíceis de decifrar. Com o passar dos dias, Afrânio confere mais poder e força à criatura interior, que se transforma no guia de suas ações.

Todo o ressentimento do protagonista com a vida consegue ser transposto para arte de forma vigorosa. As cores são desbotadas e “secas”, mostrando ao leitor exatamente a maneira como ele percebe a vida.

Os personagens são pálidos, curvados, magros e o olhos do Afrânio sempre são ocultados pelas lentes dos óculos, deixando sua aparência ainda mais sem vida – um ser humano realmente cego perante os significados da existência.

Ao optar por um narrador em primeira pessoa, Orlandeli transmite perfeitamente em cada página o olhar pessimista e desacreditado do protagonista, conferindo à narrativa um tom poético e muitas camadas de significado.

A disposição dos quadros é engenhosa e os ângulos são cuidadosos, sempre afirmando o quanto é triste o mundo de Afrânio. E, ao final de todos os dias, o leitor o vê ocupando o vazio de uma página inteira, deitado em sua cama, na esperança de que o amanhã seja melhor.

A edição, em formato 17 x 24 cm, tem capa cartonada com orelhas e papel off-set de média gramatura. A impressão é de boa qualidade e a diagramação está belíssima.

O Sinal é uma história comovente e constrói um retrato perturbador sobre a tristeza, a inveja, o comodismo e a falta de resiliência humana. Mas também é provocativa, faz o leitor perceber o quanto pode ser vencedor em suas batalhas, se lutar por isso enquanto segue o sinal mais poderoso: o coração.

Classificação

4

.

Compre esta edição aqui!

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Lucio Luiz

    Uma pequena correção: o papel não é pólen, o livro foi impresso em offset 90g.