O Soldador Subaquático

Por Audaci Junior
Data: 20 outubro, 2017

O Soldador SubaquáticoEditora: Mino – Edição especial

Autor: Jeff Lemire (roteiro e arte) – Originalmente publicado em The Underwater Welder (tradução de Paulo Cecconi).

Preço: R$ 59,90

Número de páginas: 224

Data de lançamento: Novembro de 2016

Sinopse

Jack Joseph é um jovem soldador subaquático responsável pela manutenção de uma plataforma petrolífera no litoral da Nova Escócia, no Canadá, e que está à espera do nascimento de seu primeiro filho.

Chamado para realizar um serviço de alto risco nas profundezas do oceano, ele vive uma experiência fantástica relacionada à morte de seu pai, também soldador submarino e que faleceu num acidente de trabalho.

Positivo/Negativo

No começo da história, se vê o protagonista na caminhonete estacionada na costa canadense, desolado, com a chuva se avizinhando. Em segundo plano, um elemento que aparecerá constantemente, mas sempre despercebido: um farol aparentemente desativado.

Sem astrolábio ou qualquer instrumento que valha orientação, o protagonista constantemente está desnorteado e sob pressão, mesmo fora d’água. A tensão maior em terra firme será descoberta ao poucos, fato que o faz projetar entre ele e sua esposa, grávida de seu primeiro filho, uma distância do tamanho da profundidade na qual mergulha para exercer seu ofício e “escapar” da vida na superfície.

Por intermédio de metáforas, flashbacks com interessantes e suaves transições (utilizando a técnica da aguadas com pincel) e expondo aos poucos a personalidade de Jack Joseph, Lemire não tem intenção de causar impacto com reviravoltas, e vai soltando pacientemente a história do garoto que – assim como o pai – foge de uma pequena discussão e tem o Dia das Bruxas como o epicentro de seu abalo emocional, já adulto.

Apesar de ser criticado pela mãe, a figura do pai é favorecida por alguns momentos francos com o seu filho, não o condenando a um precipitado julgamento unilateral. É mais uma pessoa desolada em virtude da pressão dos sonhos de abandonar todos os objetos sem valor pescados das profundezas do mar que adornam a sua loja de penhores, e partir para novos horizontes de prosperidade.

Aos poucos, o leitor começa a entender as motivações e atitudes de Jack. Sua necessidade de se isolar e distanciar de uma responsabilidade da qual seu pai “fugiu”. Ou como ele pensara que fosse. Tal pensamento desacelera o tempo e o deixa martelando para ir buscar uma resposta no “local de trabalho”.

O próprio Jack tem consciência de que está deixando aflita a sua esposa, mas, ao mesmo tempo, pela omissão dele, ela não compreende a necessidade desse empenho de explorar esse passado, fundir o tempo procurando as partes certas e fazer as engrenagens, enfim, funcionarem. Algo tão difícil quanto utilizar um manual estrangeiro para montar o berço do bebê que está por vir.

“O teu futuro espera lá embaixo… É só questão de tempo até acharmos”, adianta Lemire pela voz do pai que ficou reverberando no passado.

Detalhes como a fantasia que o pequeno Jack usa para o fatídico Dia das Bruxas ou o poema anônimo nunca esquecido são evidências de uma admiração filial forte, que justifica o quanto um fantasma do passado assombra o protagonista.

A arte simples, funcional e cartunesca de Jeff Lemire apresenta grandes momentos, principalmente na esfera “fantástica”, nas aguadas dos flashbacks e nas composições de páginas inteiras e duplas, além do dinâmico uso constante do plano e contraplano.

Apenas num determinado momento, o autor perdeu o timing de unir texto com arte, o que ele faz muito bem, principalmente nos momentos de transições de um tempo para outro na memória do personagem: quando o solitário Jack fala sobre uma brincadeira que fazia com o pai, imaginando a cidade toda embaixo d’água, ele conta que imaginava ficar flutuando até a superfície e olhava a cidade inteira embaixo do oceano. Uma descrição que casaria perfeitamente nas duas páginas anteriores, quando ele desenha uma boa parte do local visto de cima, num ângulo zenital.

A edição da Mino pode se equiparar tranquilamente com a original, da Top Shelf, lançada em 2012. O álbum apresenta capa cartonada com orelhas, uma boa revisão de texto, uma qualidade de papel off-set bem superior à estrangeira (deixando a nacional até mais volumosa) e excelente impressão.

Sendo expressionista na tensão e não pegando carona numa via mais óbvia para amarrar o final, O Soldador Subaquático é uma experiência principalmente embasada na vida real do próprio Lemire – na época, marinheiro de primeira viagem na paternidade – e que, ao mesmo tempo, explora as profundezas do ser humano, no turbilhão do silêncio gritante da consciência.

Classificação:

4,5

.

Compre O Soldador Subaquático

• Outros artigos escritos por

.

  • James Howllet

    Seja bem vindo de volta UHQ Review.
    Parabéns pela crítica.