Oeste Vermelho

Por Zé Oliboni
Data: 3 fevereiro, 2012

Oeste VermelhoEditora: Devir Livraria – Edição especial

Autores: Magno Costa e Marcelo Costa (texto e arte).

Preço: R$ 34,50

Número de páginas: 88

Data de lançamento: Dezembro/2011

Sinopse

Um cruel bando de gatos ataca Nedville, a pequena cidade de ratos fazendeiros do Velho Oeste.

Madlock, o líder local e proprietário da maior parte da cidade, força os moradores a ignorar o perigo, mas Frank Jones não aceita tratar a ameaça de forma leviana e fará de tudo para proteger sua família e seus amigos.

Positivo/Negativo

Já não se pode mais se referir a Fábio Moon e Gabriel Bá como “os gêmeos”. Verdade que eles já disputavam o título com Paulo e Chico Caruso, mas agora, com Magno e Marcelo Costa se firmando no mercado de quadrinhos, em grande estilo, com Oeste vermelho, usar o termo pode causar confusão.

Aliás, a tentação de rotular e definir as “fontes inspiradoras” de Oeste vermelho é grande. É um quadrinho de faroeste que lembra uma dezena de filmes clássicos espetaculares. É um quadrinho com animais, mais especificamente ratos e gatos, que remetem a Pequenos guardiões, Maus, Blacksad e outros tantos. E é um quadrinho nacional feito por gêmeos.

Todas essas referências podem ser utilizadas para definir a obra. O traço tem a beleza de Pequenos guardiões, mas com a ressalva de que a trama mais madura se aproxima mais da forma como Blacksad usa personagens antropomorfizados. Enfim, a aventura é diversão garantida para os fãs de faroeste.

No entanto, mais importante do que todas essas possíveis chamadas comerciais e comparações que levarão a expectativas desnecessárias, é o fato que Oeste vermelho é uma HQ excelente. Em todos os aspectos.

A arte, tanto de Marcelo (mais realista e que, com muita competência, conduz a história principal) quando de Magno (feita com um belíssimo traço estilizado na aventura final) são um espetáculo.

Inclusive, ler as últimas páginas feitas por Magno deixa a vontade de ver um álbum inteiro desenhado no seu traço simples e expressivo.

O roteiro é bem ágil e bem executado. Alguns podem dizer que não é tão original, pois há dezenas de tramas de vingança que seguem uma estrutura nos mesmos moldes? Sim, mas isso não diminui a HQ. Afinal, mesmo uma história já conhecida se destaca quando ganha uma narrativa tão bem feita.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.