OS PODEROSOS VINGADORES # 22

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2005


Título: OS PODEROSOS VINGADORES # 22 (Panini
Comics
) – Revista mensal
Autores: Os Poderosos Vingadores – Brian M. Bendis (roteiro) e David Finch;

Thor – Michael Avon Oeming e Daniel Berman (roteiro) e Andrea Divito (arte);

Homem de Ferro – Mark Ricketts (roteiro) e Tony Harris (arte);

Capitão América e Falcão – Christopher Priest (texto) e Joe Bennett (arte).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Novembro de 2005

Sinopse: Os Poderosos Vingadores – A destruição da mansão foi apenas o começo. Diante do caos generalizado, a própria estrutura dos Vingadores começa a ruir.

O Homem de Ferro enfrenta uma grande perda!

Thor – O crepúsculo dos deuses. Chegou o Ragnarök!

Capitão América e Falcão – o Falcão agora é um foragido, mas o Capitão América tem outras preocupações em mente…

Positivo/Negativo: Este mês, Vingadores – A Queda decepcionou. Uma história travada, com pouca ação e muita discussão interna que não leva a nada. Claro que os diálogos são o forte de Bendis, mas páginas demais só de conversa cansam qualquer um.

O final da aventura é a melhor parte, com a aparição da maioria dos heróis da Marvel para atender o chamado dos Vingadores. O desenho de Finch continua muito bom.

Homem de Ferro continua ruim. O maior problema é o descompasso entre o clima da história e o estilo do desenho. Outra coisa para deixar o leitor preocupado é que toda a matança feita ou por Tony Stark ou por sua armadura terá que ser varrida pra debaixo do tapete no fim do arco para ele continuar com suas aventuras normais.

Assim, essa trama cada vez mais tem cara de que terá uma desculpa bem esfarrapada no final para acertar tudo.

A volta de Thor ajuda a equilibra a revista. A história não podia ser ruim, pois os roteiristas adaptaram a lenda do Ragnarök da mitologia nórdica com muito estilo. Conseguiram justificar o porquê desse ataque de Loki não ocorrer antes, encaixar Thor no lugar do falecido Odin e criar a virada em relação à fábula original incluindo os Vingadores na trama. Esse arco realmente promete.

Em Capitão América e Falcão, o desenho do brasileiro Joe Bennett continua bom. O problema é que é só. A história está bem ruim. O leitor ainda continua perdido na trama que envolve detalhes que não lhe foram contados. E a trama não evolui, apesar do excesso de texto.

É impressionante como esse pessoal consegue ter longas discussões em meio a tiroteios e perseguições. A única coisa que anda na aventura é o estranho envolvimento amoroso entre o Capitão e a Feiticeira Escarlate.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.