Paper Girls – Volume 1

Por Henrique Serrão
Data: 22 maio, 2020

Paper Girls – Volume 1Editora: Devir – Edição especial

Autores: Brian K. Vaughan (roteiro), Cliff Chiang (arte) e Matt Wilson (cores) – Originalmente em Paper Girls # 1 a # 5 (tradução de Kleber Ricardo de Sousa).

Preço: R$ 55,00

Número de páginas: 144

Data de lançamento: Março de 2017

Sinopse

Na madrugada depois do Dia das Bruxas de 1988, quatro entregadoras de jornal de 12 anos descobrem o que pode ser a história mais importante de todos os tempos.

Drama suburbano, ficção científica, viagem no tempo e mistérios sobrenaturais colidem nesta série sobre nostalgia, primeiros empregos e os últimos dias da infância.

Positivo/Negativo

Mais um quadrinho de Brian K. Vaughan, o autor de obras consagradas como Saga, Os Leões de Bagdá e Y – O Último Homem. Neste primeiro volume, ele elabora uma história recheada de mistérios, propositalmente inseridos para ter um desenvolvimento em futuras edições.

E o autor cumpre bem sua função, estabelecendo as personalidades de cada personagem não tão a fundo. Ele faz desse elemento de descoberta parte da interação entre elas, mostrando como às quatro entregadoras são diferentes entre si em seus diálogos.

Vários temas são trabalhados dentro da trama, como questões sociais, familiares, preconceitos, sexualidade. Não expondo apenas como um simples contraste entre o pensamento adulto e o adolescente, mas entre as próprias personagens.

Talvez o único ponto negativo seja a introdução de muitos elementos futuros, o que pode deixar o leitor um tanto confuso. Afinal, muitas coisas ficam sem respostas, mas isso não chega tirar o interesse pelo que está por vir.

Paper Girls ressalta o talento de Vaughan em escrever diálogos inteligentes, que ajudam a construir a personalidade das personagens.

Existem poucos momentos em que se mostra o background de cada menina, mas, mesmo assim, o leitor consegue defini-las sem muito esforço, por causa da construção de ótimos diálogos.

A arte de Cliff Chiang, responsável por desenhar a fase da Mulher-Maravilha durante Novos 52, é de encher os olhos, com enquadramentos dinâmicos e fluidos. E combina perfeitamente com a narrativa de Vaughan e com um lado nonsense com um traço bem estilizado.

As cores de Matt Wilson não ficam para trás, entregando uma variedade de tonalidades quentes e frias, que vibram a cada página, trazendo uma pegada jovem e, ao mesmo tempo, nostálgica, lembrando os anos 1980.

O primeiro volume de Paper Girls dominou grande parte das listas dos melhores ou dos mais vendidos quadrinhos e graphic novels de 2016, nos Estados Unidos. E ganhou diversos prêmios, como dois Eisner, de Melhor Nova Série e Melhor Desenho/Cores, e dois Harvey novamente de Melhor Nova Série e Melhor Escritor, para Brian K. Vaughan.

A edição da Devir está caprichada, em formato 17 × 26 cm em papel couché, o acabamento em brochura e papel cartão. Ponto para o excelente trabalho nos textos, fluídos e bem revisados.

Paper Girls é uma série que merece ser lida. Por sua história, que ainda tem muito a revelar, e principalmente por suas personagens cativantes, que instiga o leitor a acompanhar essa diferente aventura.

Classificação:

4,5

.

Paper Girls - Volume 1

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Heberton Arduini

    Ainda bem que a Devir resolveu lançar esse em capa cartão. O preço é fora da realidade mas ao menos esse quando chega a 50% é pagavel.