SASQUATCH – A LENDA DO PÉ-GRANDE

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2010

SASQUATCH - A LENDA DO PÉ-GRANDE

Editora: Devir Livraria – Edição especial

Autores: Steve Niles e Rob Zombie (roteiro) e Richard Corben (arte) – Originalmente publicada em Big Foot # 1 a # 4.

Preço: R$ 31,00

Número de páginas: 104

Data de lançamento: Setembro de 2009

 

Sinopse

Em 1973, num acampamento no Parque Nacional da Montanha Blackwood, na costa oeste dos Estados Unidos, o pequeno Billy viu um monstro gigantesco invadir a casa de madeira onde ele e sua família estavam, matar seu pai e levar sua mãe ferida.

Anos depois, os desaparecimentos na região continuam e parecem estar relacionados a outros ocorridos no passado. E quem está por trás deles é uma criatura simiesca faminta e que não está nada contente com a raça humana.

Positivo/Negativo

O lendário Sasquatch já foi retratado de várias formas pela cultura pop – já teve até versão em que combatia o mal (no seriado O menino selvagem) e “boazinha”, no filme Meu amigo, o Pé-Grande. Mas, neste álbum, o monstro é sinônimo de terror e medo.

O roteiro de Steve Niles e do roqueiro e cineasta Rob Zombie mostra a criatura como uma fera sanguinária, que caça humanos para saciar a sua fome. De cara, o leitor tromba com alguns clichês do gênero. Por exemplo: era óbvio, logo nas primeiras páginas, que o pequeno Billy seria mostrado mais tarde buscando vingar a morte dos pais.

Além disso, durante toda a história reina um clima de suspense como os dos filmes de Jason, da série Sexta-feira 13, em que o leitor fica à espera do próximo ataque do Sasquatch.

O final também apresenta um lugar-comum clássico das histórias de terror, que, evidente, não será revelado nesta resenha.

Quem assina os desenhos é o veterano Richard Corben. Há quem não goste do seu traço, por considerá-lo caricato. Não é o caso. Trata-se de um grande artista, com um estilo absolutamente único. E ele domina a narrativa de modo exemplar. A diagramação que impõe às páginas (atente para as formas dos quadrinhos nas cenas mais violentas) prova isso, ditando o ritmo do roteiro.

A edição da Devir é bem produzida e traz como extras as capas originais da série e biografias dos autores.

Enfim, Sasquatch – A lenda do Pé-Grande não é um primor de HQ, mas diverte.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.