SELEÇÕES COLORIDAS # 6

Por Gilberto M. M. Santos
Data: 1 dezembro, 2005


Título: SELEÇÕES COLORIDAS # 6 (Editora Brasil-América
Limitada
) – Revista mensal

Autores: Sem créditos (as duas histórias são mencionadas, erroneamente,
como sendo de Walt Disney).

Preço: Cr$ 4,00 (preço da época)

Número de páginas: 24 (coloridas, no formato 27,5 x 20 cm)

Data de lançamento: 1945

Sinopse: na história Catch-As-Catch-can, visando ganhar
dinheiro, Donald se une a João Bafo-de-Onça (o nome não é mencionado na
história), para enganar Anjão, um robusto e infantil gigante possuidor
de uma força prodigiosa.

O pobre Anjão se recusa a lutar, o que leva Donald e o vilão a bolarem
os mais insólitos ardis.

Na segunda história, que infelizmente não termina nesta edição, Donald
se vê em maus lençóis aos tentar provar aos sobrinhos que é um grande
vendedor. Para complicar tudo, o produto é um complicado “batedor manual
de ovos”. E os clientes não se mostram muito amistosos.

Positivo/Negativo: Uma divertida história completa e uma outra
em continuação. A primeira aventura começa na segunda capa e na terceira
há uma publicidade do próximo número (O pequeno Lobo Mau – o nosso
conhecido Lobinho). Muito bonita e num formato elegante, a revista foi
impressa em off-set em quatro cores.

Uma raridade absoluta, Seleções Coloridas foi a primeira revista
em quadrinhos da Ebal (na época conhecida apenas por Editora
Brasil-América
), tendo sido impressa na Argentina, numa associação
entre duas potências: Adolfo Aizen e César Civita (então proprietário
da Editora Abril de lá).

SELEÇÕES COLORIDAS # 6
A revista Seleções Coloridas tinha, em geral, 32 páginas. Impressa
na Argentina, mas toda em português, teve apenas 17 números hoje raríssimos.
Nela são encontradas, entre outras preciosidades, as primeiras histórias
Disney de Carl Barks publicadas no Brasil.

Na quarta capa está anunciado o que viria a ser o primeiro livro da Ebal,
anterior ao Retrato de Dorian Gray tido por muitos como o mais
antigo.

As edições de Seleções Coloridas não vinham com datas (ao menos
os poucos números que este escriba teve acesso – 6 e 13), mas foi lançada
em 1946, alguns meses antes da revista O
Heroi
, esta impressa no Brasil.

Agradecimento especial ao amigo e grande colecionador Jorge Barwinkel,
que forneceu uma cópia fac-simile para a feitura deste review.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.