Seuls – Intégrale du cycle 1

Por Pedro Bouça
Data: 17 março, 2014

Seuls – Intégrale du cycle 1Editora: Dupuis – Edição especial

Autores: Fabien Vehlmann (roteiro) e Bruno Gazzotti (arte).

Preço: € 35,00

Número de páginas: 264

Data de lançamento: Novembro de 2010

Sinopse

De um dia para o outro, o mundo inteiro desapareceu. Restam apenas cinco crianças que precisam tentar sobreviver em um planeta sem adultos, mas ainda cheio de perigos.

Positivo/Negativo

Seuls (Sós, em tradução livre) é uma HQ franco-belga moderna, daquelas que não costumam dar as caras no Brasil. Publicada na famosa revista infanto-juvenil belga Spirou, é uma obra capaz de cativar tanto crianças quanto adultos.

E faz isso graças à eficiência da sua trama e ao carisma dos seus protagonistas. O mistério central da série (“o que aconteceu com as pessoas?”) é envolvente, e Vehlmann sabe como poucos dosar o ritmo das revelações, lançando sempre novos perigos para os personagens e mistérios para os leitores.

Isso poderia tornar-se repetitivo se os personagens não fossem tão cativantes. Os cinco protagonistas têm personalidades muito bem definidas e a sua interação uns com os outros, com o ambiente e com os demais coadjuvantes (sim, aparecerão outros rostos na história) é brilhante.

Nas relativamente curtas HQs europeias (cerca de 50 páginas para cada um dos oito volumes publicados até o momento) não costuma haver muito espaço para a caracterização das personagens, ainda mais em uma série com uma trama tão elaborada quanto esta.

No entanto, Vehlmann realiza habilmente esse feito sem comprometer a qualidade da obra.

Ele é ajudado pela impecável arte de Gazzotti. Embora pareça caricatural à primeira vista, é na verdade uma arte precisa e extremamente detalhada e naturalista.

Os personagens são caricaturais apenas na medida certa para serem identificáveis e expressivos, e circulam em cenários com uma grande riqueza de detalhes. Gazzotti coreografa impressionantes cenas de ação, ao mesmo tempo em que transmite emoção nas sequências mais dramáticas. Em suma, é o perfeito complemento para o roteiro de Vehlmann.

Esta edição reúne os cinco álbuns iniciais da série, cada um com uma trama fechada, mas todos eles partes do primeiro grande arco narrativo, que culmina com uma revelação, na última história, que, ao mesmo tempo, explica por que eles estão sós…

Mas, de forma apropriada para a série, o autor o faz de uma forma que cria ainda mais questionamentos para os leitores e os próprios personagens. Claramente, a história está longe de ter um desfecho. E isso não passa nem perto de ser um problema.

A edição possui um pequeno prólogo (ausente dos álbuns originais – e da revista Spirou) que mostra como eram as vidas dos protagonistas antes do grande desaparecimento. Na verdade, ele não adiciona muita coisa e tira um pouco do impacto inicial da história, que já começava com os personagens sozinhos na cidade abandonada.

Como a história não utiliza flashbacks, significa que esse prólogo é o único momento em que aparecem as vidas normais dos protagonistas (e personagens adultos). Fora isso, o volume não contém nenhum extra (nem mesmo as capas originais!), o que talvez o torne uma escolha menos interessante do que os álbuns avulsos, apesar da inegável praticidade de se ter todos os tomos em um único livro.

Apesar disso, é uma edição impecável nos padrões europeus, com capa dura, formato grande, papel e impressão de qualidade. Os pequenos problemas apontados não são o bastante para prejudicar um material dessa qualidade.

Classificação

5,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.