Sir Lock Holmes 40 Anos

Por Rodrigo Scama
Data: 29 fevereiro, 2016

Sir Lock Holmes 40 AnosEditora: Abril – Edição especial

Autores: vários

Preço: R$ 16,00

Número de páginas: 308

Data de lançamento: Setembro de 2015

Sinopse

Uma edição especial para comemorar o aniversário de Sir Lock Holmes, um detetive incansável e tapado, que sempre precisa do seu ajudante Watson (ops, Mickey) para combater o Professor Nefárius e sua gangue.

Positivo/Negativo

Sir Lock Holmes é um detetive que não deu certo. Mas não é isso o que ele pensa. Criado por Carl Fallferg e All Hubard, o personagem é uma paródia do maior detetive da literatura e talvez do imaginário popular.

Sherlock Holmes é um nome tão famoso que provavelmente não exista um ocidental que não tenha escutado ou falado o bordão “elementar, meu caro Watson”. Aliás, bordão que nunca saiu das páginas dos livros e contos escritos por Sir Arthur Conan Doyle, mas sim das adaptações cinematográficas, cujo artista principal era Basil Rathbone.

E é a partir de Rathbone que Sir Lock é moldado. O chapéu, a casaca, as polainas e principalmente o pronunciado nariz vêm diretamente do ator africano nascido em 1892. Mas não a astúcia.

O detetive da Disney é uma toupeira. Ou, como se diz no popular, burro de pai, mãe e parteira. Sir Lock tem como inimigos, o Professor Nefárius e sua gangue. E, para sua sorte, eles são tão tapados quanto.

Mesmo assim, quem sempre salva o dia das trapalhadas do amigo é Mickey, que encarna um Dr. Watson muito mais inteligente e atuante do que o original. O camundongo consegue prever os crimes, prender os culpados e ainda deixar o crédito para Sir Lock, que sempre tem certeza de que prendeu sozinho os inimigos.

As histórias são sempre simples, mas divertidíssimas. Basicamente, o Professor Nefárius decide aplicar um golpe e Sir Lock e Mickey tentam enquadra-lo.

Em alguns casos, Mickey salva o dia, em outros, os próprios ajudantes de Nefárius conseguem estragar com tudo. Diversão garantida.

Do ponto de vista estético, algumas histórias são bastante arrojadas, todas feitas pelo estúdio de Jaime Diaz. Ainda que mais acanhados dos que as da série Pateta Faz História, alguns enquadramentos, balões e diagramações são espetaculares e vale a leitura apenas por causa dessas pérolas.

A edição da Abril, que tem 25 histórias, traz no início um texto do jornalista Marcelo Alencar muito importante para contextualizar o personagem Sherlock Holmes e sua contraparte disneyana. Além disso, apresenta a primeira aparição de Sir Lock Holmes, uma aventura inédita e também a única feita fora dos Estados Unidos, escrita por Ivan Saidenberg e desenhada por Roberto Fukue, nos estúdios brasileiros da Disney, em 1978.

A Abril tem lançado diversos especiais. Este é em formatinho (caso deste) e certamente uma parcela dos fãs de quadrinhos Disney gosta desse modelo de publicação, mas talvez um álbum mais caprichado, com capa dura (como outros que a editora tem colocado no mercado), fosse uma possibilidade interessante, já que poderia tornar-se um item de coleção.

De qualquer forma, é uma edição de mais de 300 páginas que cumpre sua função: fazer rir do detetive mais estúpido do universo Disney.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

  • Marcus Ramone

    Um dos melhores personagens Disney, pra mim. Ele merecia uma edição com TODAS as HQs da série.

    • Mas a Abril estava tão preocupada com isso no momento, que jogou aí nesse temático TODAS as histórias que já havia publicado naquele recente Almanaque do Mickey dedicado ao Sir Lock, de 2012! Isso pq o personagem só tem, se não me engano, 98 histórias no total! 80 páginas desperdiçadas, já que poderiam publicar outras hqs!

      • Eu não chamaria de desperdício, pois eu comecei a colecionar Disney em 2014 e eu não possuía esse almanaque. Mas entendo seu ponto de vista.

        • Allisson Ramon

          Somos 2. Também comecei Disney em 2014 e não tinha esse almanaque. O pessoal também reclamou quando saiu História e Glória da Dinastia Pato em capa dura, pois tinha saído a pouco tempo, mas eu nunca tinha pego. O problema é que desde que a abril fechou sua loja online, é bem difícil achar publicações deles fora de bancas, já que, excetuando os capa duras, quase nenhuma loja online vende os produtos deles. Já em outras editoras, muito produtos ficam por anos no catálogo, permitindo a novos fãs adiquirí-los. Seria ótimo se a Abril seguisse esse exemplo.

    • Allisson Ramon

      Difícil sair uma com todas as HQs da série. A série de Sir Lock Holmes tem cerca de 90 histórias. Precisaria de umas 3 ou mais edições, mesmo as de capa dura, pra compilar tudo. Mas acho que seria uma boa mesmo assim.

      • Marcus Ramone

        Sim, uma série, não uma única edição, equivoquei-me. :-)

        • Rodrigo Scama

          Tinha que ter uma série em capa dura!! Seria sensacional!

  • Helil Neves

    Até onde sei, a origem do “elementar, meu caro Watson” é um pouco mais antiga: vem do teatro, da adaptação do ator William Gillette.

    • Rodrigo Scama

      Helil, não tenho certeza, mas a chance de você estar certo é enorme, já que os grandes compêndios tendem a olhar apenas as coisas produzidas nos EUA. Valeu pelo aviso!!

  • Chefe O’Hara

    A re-republicação das histórias que saíram no Almanaque do Mickey pra mim foi uma boa, pois tinha perdido aquela revista quando saiu na banca: num dia estava lá, no outro sumiu!

    A edição tá ótima, e pelamordedeus não botem ideias na cabeça do pessoal da Abril: capa-dura só serve pra encarecer as revistas! Só não sei por que rebatizaram de “Comprido” o comparsa de Nefárius que sempre fora chamado de “Magricela”…