SONJA, A GUERREIRA – CRÂNIOS FLAMEJANTES # 2

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2008


Autores: Michael Avon Oeming e Mike Carey (roteiro), Mel Rubi (arte) e Caesar Rodriguez, Richard Isanove, Imaginary Friends Studio e Michael Kelleher (cores).

Preço: R$ 5,90

Número de páginas: 48

Data de lançamento: Maio de 2008

Sinopse: Depois de ter sido “morta” ao final da primeira edição, Sonja é trazida de volta à vida graças à magia de Fa.

Recuperada, ela recebe a companhia de Osin, Solath, Mika e Kang para liderar uma missão que será o primeiro passo para tentar derrubar o Ente Celestial, o homem que dá as cartas em Gathia.

Mas o caminho é longo e reserva surpresas, como traição, uma aliança inesperada com os zeddas e inimigos que a guerreira ruiva nunca sonhou enfrentar.

Positivo/Negativo: A maior parte da trama desta edição se concentra no estratagema que Fa, Sonja e seus aliados montam para destronar o Ente Celestial. A magia, sempre tão presente nas HQs da guerreira, tem menos importância neste capítulo.

O roteiro de Oeming e Carey não tem uma trama excepcional, cheia de mistérios ou reviravoltas mirabolantes, mas é bem construído. A história tem algumas coisas previsíveis, como um guerreiro bonitão ficar “caidinho” por Sonja, porém flui num ritmo agradável. É uma boa diversão. Nada mais do que isso.

O ponto alto continua sendo a arte de Mel Rubi. Além de belos desenhos, ele não se limita a dividir a página em seis ou nove quadros simplesmente: suas diagramações são sempre diferentes, o que ajuda a ditar o ritmo da narrativa. O mesmo vale para seus enquadramentos. Sempre que pode, Rubi dá uma diferenciada para valorizar o visual.

No entanto, há páginas com falhas de continuidade que o editor original deixou passar, como, por exemplo, Osin ter o peito cortado e, páginas depois, aparecer sem nenhum ferimento.

Outro senão é que a Sonja de Rubi é tão bonita que nem parece viver num ambiente tão hostil. Se o leitor “focalizar” apenas em seu rosto, ignorando o restante da arte, pode achar que está lendo uma HQ com Mary Jane Watson Parker, a esposa do Homem-Aranha.

O trabalho da Paninifoi competente, mas como se trata de uma personagem que está sumida das bancas faz tempo, um texto com um resumo do que aconteceu no número anterior seria útil para leitores que podem ter descoberto a minissérie nesta edição.

A revista traz ainda duas belas artes de Rubi e uma do veterano John Romita Sr. E, assim como aconteceu em Crânios Flamejantes # 1, a última página deixa um belo gancho para a continuação.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.