Spawn # 9 – Image

Por Guilherme Kroll Domingues
Data: 18 fevereiro, 2011

Spawn # 9Editora: Image comics – Revista mensal

Autores: Neil Gaiman (roteiro) e Todd McFarlane (desenhos).

Preço: US$ 1,95

Número de páginas: 32

Data de lançamento: Março de 1993

Sinopse

Na Idade Média, o Spawn Medieval encontra seu fim pelas mãos de Angela. No tempo presente, a caçadora volta à Terra para caçar Al Simmons. Mas ela não conta que o novo Spawn tem a ajuda de Cagliostro.

Positivo/Negativo

Spawn # 9, da Image Comics, chama a atenção por uma série de histórias ao seu redor, anteriores e, principalmente, posteriores à sua publicação. Muito mais do que pela aventura que traz impressa.

Quando a Image surgiu, oriunda da cisão de vários desenhistas renomados com as majors para garantir direitos sobre suas criações, fez um estardalhaço no mundo todo.

Entretanto, as primeiras HQs, mesmo sendo um sucesso de venda, foram um fracasso de crítica pelo fato de os desenhos serem de fato os maiores sucessos comerciais da época, mas os roteiros serem simplesmente pífios.

O maior êxito da Image era Spawn, de Todd McFarlane. E, para garantir boas histórias, o autor chamou renomados escritores para incrementar o universo do personagem. Em sequência, os leitores tiveram roteiros de Alan Moore, Neil Gaiman, Dave Sin e Frank Miller.

Assim, em março de 1993, Neil Gaiman escreveu a história desta nona edição, que apresentava Angela (sem acento no original), caçadora de Spawns.

Na trama, mostra Angela, na Idade Média, acabando com o Spawn Medieval. Depois, no presente indo caçar Al Simmons, o Spawn atual. Além desses personagens, Gaiman introduziu o mestre Cagliostro.

São muitos conceitos e pouquíssimas páginas e a história fica meio corrida. Fica claro que a intenção de Gaiman era introduzir novos personagens para o universo de Spawn. Justo, muito legal, e afinal de contas, o princípio da Image era que os autores mantivessem direitos sobre suas criações, certo?

Errado!

Gaiman descobriria depois que McFarlane usaria seus personagens de muitas maneiras – em bonequinhos, estatuetas, séries derivadas, desenhos animados, até mesmo num medonho filme para o cinema – sem consultá-lo ou pagar a mais por isso.

O resultado foi uma das maiores batalhas judiciais dos quadrinhos, que envolveu outros personagens e um monte de gente, inclusive Paul Levitz e Alan Moore. Mas o maior dano colateral de tudo isso foi ao personagem Miracleman.

Em 1997, Gaiman fez um novo contrato com McFarlane, recebendo um extra pelos royalties de seus personagens. Mas o criador de Spawn o descumpriu, e o roteirista britânico o processou, saindo vencedor em 2002.

Para barganhar os direitos de Spawn Medieval, Angela e Cagliostro, McFarlane comprou a massa falida da editora Eclipse Comics, que incluía Miracleman, personagem que, em tese, seria de Alan Moore, Neil Gaiman e Mark Buckingham.

Novo processo e nova vitória de Gaiman. Mesmo assim, há tantos trâmites legais, que até agora a saga de Miracleman não foi reeditada.

Já as histórias de Angela, Spawn Medieval e Cagliostro vez ou outra aparecem, sempre sendo motivo de novas batalhas judiciais. O que faz deste Spawn # 9 uma raridade no mundo dos quadrinhos.

Recentemente, houve outra briga judicial por causa de personagens derivados do trabalho de Gaiman.

Para saber mais da opinião de Gaiman sobre os episódios, veja a entrevista dele ao Universo HQ.

E, nessa confusão toda, o que pouca gente se lembra é que está, de fato, é uma boa história.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.