SUPERALMANAQUE MARVEL # 1

Por Marcus Ramone
Data: 1 dezembro, 2011

SUPERALMANAQUE MARVEL # 1

Editora: Abril – Edição especial

Autores:Macabro desafio – Tom DeFalco (roteiro), Ron Frenz (desenhos) e Joe Rubinstein e Brett Breeding (arte-final) – Originalmente em Amazing Spider-Man # 260;

Macabra herança – Tom DeFalco (roteiro), Ron Frenz (desenhos) e Joe Rubinstein (arte-final) – Originalmente em Amazing Spider-Man # 261;

A noite das bruxas – John Byrne (roteiro e desenhos) e Jerry Ordway (arte-final) – Originalmente em Fantastic Four # 276;

O amargo sabor da verdade – Bill Mantlo (roteiro), Steve Ditko (roteiro) e Ian Akin e Brian Garvey (arte-final) – Originalmente em Rom # 62;

Pesadelo cósmico – Bill Mantlo (roteiro), Steve Ditko (roteiro) e Brett Breeding (arte-final) – Originalmente em Rom # 63;

Fusão de mundos – Bill Mantlo (roteiro), Steve Ditko (roteiro) e P. Craig Russell (arte-final) – Originalmente em Rom # 64;

Juízo Final – Bill Mantlo (roteiro), Steve Ditko (roteiro) e P. Craig Russell (arte-final) – Originalmente em Rom # 65;

O coração do malA noite das bruxas – John Byrne (roteiro e desenhos) e Jerry Ordway (arte-final) – Originalmente em Fantastic Four # 277;

Me pega, babaca! – Chris Claremont (roteiro) e John Bolton (arte) – Originalmente em Classic X-Men # 10;

Pátrio poder – Chris Claremont (roteiro), John Romita Jr. (desenhos) e Dan Green (arte-final) – Originalmente em Uncanny X-Men # 192;

A vingança do trovão – Chris Claremont (roteiro), John Romita Jr. (desenhos) e Dan Green (arte-final) – Originalmente em Uncanny X-Men # 193.

Preço: NCz$ 30,00 (valor da época)

Número de páginas: 256

Data de lançamento: Dezembro de 1989

 

Sinopse

Almanaque com 11 HQs estreladas por Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, Rom, Wolverine e X-Men.

Positivo/Negativo

A primeira edição de Superalmanaque Marvel chegou causando estardalhaço. O gibi de capa cartonada, lançado pela Abril, era a revista de super-heróis com o maior número de páginas que a editora havia publicado, até então.

E cada história justificou sua presença na edição especial, ao encerrar importantes arcos e sagas ou mostrar eventos cruciais na vida de alguns personagens.

Em 256 páginas, o simbionte alienígena que em breve se tornaria Venom foge de seu cárcere no Edifício Baxter. Homem-Aranha, em um de seus melhores momentos, enfrenta Duende Macabro e Rosa e ainda precisa salvar Harry Osborn e Mary Jane (na época, somente amiga do herói). Coisa retorna à Terra, depois de morar no planeta criado por Beyonder, na saga Guerras Secretas. E os X-Men se envolvem com novos problemas que iriam tumultuar sua vida por muito tempo.

Artistas em seu auge, como John Byrne nos textos e desenhos de A noite das bruxas… (que também presta homenagem a alguns personagens da King Features, como Pafúncio), estrelada pelo Quarteto Fantástico, em excelente fase; Ron Frenz no lápis das aventuras do Homem-Aranha; e John Bolton na arte de Me pega, babaca!, com Wolverine, também chamam a atenção.

O grande destaque de Superalmanaque Marvel # 1, entretanto, é o fim da Guerra dos Espectros, a saga final do ciborgue Rom, que envolveu a participação de dezenas de super-heróis da Marvel.

A terrível raça dos Espectros foi definitivamente banida para o limbo, mas o desfecho das aventuras do Cavaleiro do Espaço também significou a despedida de Rom dos quadrinhos.

As quatro HQs do personagem nesta edição, publicadas originalmente em 1985, foram as últimas do personagem e fizeram valer a volta de Steve Ditko – que à época, como agora, andava sumido do mercado – para desenhá-las.

Naquele ano, a Parker Brothers, empresa detentora dos direitos sobre Rom, não renovou o contrato de licenciamento com a Marvel.

Atualmente, o boneco que originou a série de HQs não é mais fabricado. Mas o personagem continua fazendo parte da cronologia da “Casa das Ideias” e já foi citado algumas vezes nas HQs da editora, ainda que a imagem do ciborgue não possa mais ser utilizada.

Superalmanaque Marvel foi considerado pelos leitores, na época, um dos grandes lançamentos do ano. O título seguiu até 1994, na edição # 11, já com capa mole e menos páginas, mas sempre fiel ao objetivo de apresentar arcos especiais e conclusões de saga.

Deixou saudades.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.