Superman # 3 – Abril – Premium

Por Samir Naliato
Data: 30 março, 2001

Superman Premium # 3Editora: Editora Abril – Revista mensal

Autores: Super-Homem – Stuart Immonen, Mark Millar, Mark Schultz e Joe Kelly (argumentos), Joe Phillips, Doug Mahnke e German Garcia (desenhos) e Rich Faber, Tom Nguyen e Joe Rubinstein (arte-final);

Lanterna e Aquaman – Christopher Priest (argumentos), MD Bright (desenhos) e Greg Adams (arte-final);

Titãs – Devin Grayson (argumentos), Justiniano e Drew Johnson (desenhos) e Marlo Alquiza, Rich Faber, Sean Parsons, Kevin Conrad, Jon Sibal e Mick Gray (arte-final);

Lanterna e Barda – Dan Abnett e Andy Lanning (argumentos), Oscar Jimenez (desenhos) e Eduardo Alpuente (arte-final);

Flash – Mark Waid e Brian Augustin (argumentos), Pop Mhan (desenhos) e Chris Ivy (arte-final).

Preço: R$ 9,90

Data de lançamento: Outubro de 2000

Sinopse

As três primeiras histórias são com o Super-Homem. Na primeira, o herói encontra Obsessão, que fica sabendo da notícia que o Homem de Aço é casado, e não fica nada feliz com isso.

Sofrendo de um sentimento que mistura ciúmes e amor, ela quer o herói apenas para ela.. ou para ninguém mais! E um final trágico…

Em seguida, entra em campo a LJA para ajudar a desmentir a notícia dada no jornal que dizia que o Super-Homem era casado. Eles fazem uma entrevista coletiva e dizem que a aliança vista na foto é um comunicador da equipe.

Enquanto isso, Erradicador volta a atacar Clark, dessa vez em seu próprio apartamento. Sua missão: restaurar Krypton na Terra. E para isso tenta dominar o herói. Lois Lane chega em casa no meio da luta, e ajuda seu marido a resistir ao domínio.

Por fim, uma grande história na qual a Mulher-Maravilha e Kal-El são jogados em meio a uma guerra entre Deuses para ajudar Thor contra os demônios. Ótima trama que foca o casamento de Clark Kent e Lois Lane. Será que o amor dos dois é tão grande a ponto de suportar mil anos? Desta vez Super-Homem se renderá aos encantos da deusa amazona? Leia e descubra!

A revista tem duas pequenas aventuras envolvendo o Lanterna Verde. A primeira é em parceria com o Aquaman, numa missão para salvar um submarino desaparecido. Fatos estranhos acontecem durante a procura, e acabam mudando de idade.

A segunda é com Grande Barda. Durante uma visita, ao museu um bando de assaltantes resolve roubar os quadros. Quem irá impedi-los? Um doce para quem adivinhar…

A edição traz uma história dos Titãs divididas em duas partes. Ela envolve um ator chamado Goth, que tem uma estranha influência nos jovens. Em todo o país acontecem misteriosos assassinatos, todos inspirados no filme de terror do cara.

Mais estranho ainda é que os locais dos crimes seguem o mesmo padrão da turnê do ator. Os Titãs percebem e começam uma investigação que será um verdadeiro inferno… literalmente! Donna passa a ter dúvidas sobre sua vida e seu verdadeiro “eu”.

Por fim, continua a saga do Flash. Estranhos atentados começam a acontecer, como no museu dos Flashes. A princípio, Wally pensa que são contra todos os velocistas, mas acaba percebendo que é apenas contra a memória de Barry Allen.

Então, qual seria o lugar mais óbvio a ser atacado? Seu túmulo! E é para lá que Wally vai para esperar seu inimigo, um antigo vilão que volta a atacar: Azul Cobalto.

Positivo/Negativo

A revista continua mantendo o alto nível, apesar de ter duas aventuras do Lanterna Verde meio “deslocadas”, que parecem não ter nenhum propósito. Talvez sejam “tapa-buracos”, porque com tanta coisa importante por aí para publicarem colocaram duas histórias sem sal…

Os destaques ficam para a história do Super-Homem que tem a participação da Mulher-Maravilha, e para os Titãs.

Na primeira, Joe Kelly explora bem o relacionamento entre Clark e Lois, e a ameaça que uma mulher como Diana poderia significar para o casamento dos dois.

Já na segunda, Devin Grayson vem agradando como roteirista das histórias, e os Titãs tem as melhores histórias desde a dupla Marv Wolfman e George Pérez. Ela ainda aproveita para dar uma “cutucada” em um assunto polêmico: armas nas escolas.

Nesta edição, mais uma vez, pode-se ver a diferença cronológica que assola o Universo DC. Na segunda história do Homem de Aço há uma pequena participação na Liga, e quem reparar bem verá o novo Flash no grupo.

Em compensação, nas histórias dos Titãs e na aventura solo do herói, ainda está o antigo Flash.

A Abril está tendo que atrasar principalmente JLA e Super-Homem para que tudo fique mais ou menos equilibrado. Alguém lembra quando foi publicada a última história mensal da Liga da Justiça escrita por Grant Morrison (desconsidere a do mês passado, escrita por Mark Millar)? Foi em março! Muito tempo, não?

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.