Superman – Ano Um – Volume 1

Por Marcelo Naranjo
Data: 10 abril, 2020

Superman - Ano UmEditora: Panini Comics – Minissérie em três edições

Autores: Frank Miller (roteiro), John Romita Jr. (desenhos), Danny Miki (arte-final) e Alex Sinclair (cores) – Originalmente em Superman – Year One (tradução de Rodrigo Oliveira).

Preço: R$ 19,90

Número de páginas: 72

Data de lançamento: Março de 2020

Sinopse

Os primeiros anos da vida do Superman, da sua chegada ao planeta Terra até a adolescência – a relação com os pais, os amigos, os desafetos, o primeiro amor. E, claro, as situações pelas quais somente alguém com superpoderes poderia passar.

Positivo/Negativo

Sabe aquela sensação de ler algo sob um novo ponto de vista? Bom, não foi dessa vez. E aquele sentimento bacana de ter em mãos um material original com um dos seus heróis favoritos? Esqueça.

Pela “milésima” vez, os primeiros anos da vida do Superman são recontados, mas nada digno de nota é acrescentado à mitologia do personagem. De “diferente”, ele não se submete ao papel de tonto no colégio – algo que até faz sentido, em função de seus poderes e de sua idade.

Mas quando ele, os amigos e Lana Lang sofrem bullying (de forma até exagerada), é estranho e inesperado ver o herói revidar violência com ainda mais violência. Largaram mão – de novo – da essência do personagem. Devem ter esquecido em Krypton.

A arte do ótimo Romita Jr., infelizmente, chega a causar vergonha em alguns momentos. Manter a proporção anatômica no traço? Qual seria o motivo para tanto? Fora a dificuldade escancarada em desenhar crianças.

Fica a sensação de uma arte algo tosca, como em The Dark Knight # 2 e # 3 – afinal, o que importa é o foco no roteiro é de Miller! Roteiro que mal arranha a superfície do rascunho dos bons argumentos que ele já fez no passado.

Ainda assim, não chega a ser uma HQ necessariamente ruim. Mas, para um leitor das antigas, que tantas e tantas vezes leu (e releu) o mote da origem do Superman, este volume inicial serve apenas como passatempo rápido. E esquecível. Ainda bem.

Classificação:

2,5

.

Compre este quadrinho aqui!

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Jonas Moreira

    Seria preferível dar continuidade a Lendas do Homem de Aço, por exemplo, que não saíram do número 1… Ou relançar as revistas do Superboy!

  • 0-Drix

    As crianças/adolescentes desenhados pelo Romitinha parecem bonecos Funko!
    E o final deste primeiro volume é dose! Se fosse um filme, teria “In The Navy”, do Village `People como música de fundo!
    Uma origem totalmente desnecessária!

  • Crivelari

    Naranjo, não comprei esta publicação, e depois da sua resenha e de outras que já vi, não vou comprar mesmo. E que capa horrível essa, que parece desenho de algum amador! Repare nas pernas do personagem! Muito tosco!

  • Tiago Salviatti

    De fato não é necessariamente ruim, é péssimo.
    Um dos piores trabalhos do Frank Miller, e olha que esse é o cara que escreveu O Cavaleiro das trevas 2 e dirigiu Spirit… Sério, o negócio é terrível em tantos aspectos que fica difícil pontuar somente um, mas eu vou tentar, e infelizmente é do volume 2 com toda a trama sobre Atlantis e a namorada do Super Lori Lemaris que tenta, desculpe, fracassa lamentavelmente em cumprir o objetivo tanto de criar uma história minimamente coerente, interessante ou que sirva ao que se propõe (de estabelecer conexão de histórias antigas do personagem sob uma ótica mais moderna e atualizada).

  • Robson Costa

    Antigamente quando saia algo com o nome do Frank Miller todo mundo ficava em polvorosa, hoje em dia ninguém nem liga, pois ele não faz algo realmente bom há tempos. Uma pena.