Superman – Terra Um

Por Marcus Vinicius de Medeiros
Data: 18 janeiro, 2013

Superman - Terra UmEditora: Panini Comics – Edição especial

Autores: J. Michael Straczynski (roteiro), Shane Davis (desenhos), Sandra Hope (arte-final) e Barbara Ciardo (cores) – Originalmente em Superman – Earth One.

Preço: R$ 22,90

Número de páginas: 136

Data de lançamento: Dezembro de 2012

Sinopse

Uma nova visão sobre a origem do Superman para os tempos modernos. Clark Kent é um jovem dotado de superpoderes tentando encontrar seu lugar no mundo.

Até que surge uma ameaça extraterrestre, em escala global, forçando-o a agir.

Positivo/Negativo

A saga da origem do Superman já pode ser considerada uma das histórias mais constantemente recontadas, tanto nos quadrinhos como em mídias diversas. Sendo assim, foi com desconfiança que o público recebeu a notícia de mais uma versão, narrada pelo roteirista J. Michael Straczynski para a nova linha de graphic novels da DC Comics, Earth One (Terra Um, no Brasil).

A proposta era relançar os grandes ícones da editora sem o peso da cronologia oficial, em edições de luxo em capa dura e vendas em livrarias. Nada muito diferente do que a DC e a rival Marvel já tentaram outras vezes, mas a iniciativa de ampliar o público para além dos fãs mais dedicados e diversificar a oferta de títulos para livrarias é sempre louvável.

Claro que restava saber se o conteúdo justificaria o investimento, e pode-se afirmar com satisfação que Superman – Terra Um não decepciona, funcionando como uma aventura cinematográfica do personagem, e merece uma olhada.

O grande mérito do texto de Straczynski é a abordagem diferenciada para o jovem Clark Kent de vinte e poucos anos, buscando um rumo para sua vida e incerto quanto ao uso de seus poderes.

O tema é sempre envolvente, como já provaram a reformulação do herói por John Byrne, na década de 1980, e o seriado televisivo Smallville. Em Terra Um, o roteirista foge das referências mais conhecidas, evita celebrar o passado e revela um personagem único.

O leitor acompanha um Clark Kent que poderia conquistar o sucesso absoluto na carreira que escolhesse, mas começa preocupado em não se destacar, para levar uma vida normal. E que, por força das circunstâncias, emergiria como o grande herói que admiramos.

Mais um ponto positivo é o elenco de coadjuvantes, especialmente na redação do Planeta Diário. Straczynski parece levar a sério a profissão de jornalista, e apresenta uma visão poderosa de Lois Lane, Jimmy Olsen e Perry White. A opção pelo realismo mostra-se acertada, com o elemento fantástico do super-herói destacando-se e ganhando vida no que poderia ser o mundo real. O encanto de uma singela cena de voo nunca esteve tão puro.

Por outro lado, a trama se perde um pouco com a ameaça alienígena que surge na segunda metade do álbum, ligada à destruição de Krypton. O vilão é genérico e desprovido de carisma, reduzindo o impacto da primeira aparição pública do Homem de Aço.

Na arte, Shane Davis realiza um trabalho competente e apreciável, cheio de momentos marcantes e uma interpretação pouco usual dos personagens.

Superman – Terra Um figurou na lista de mais vendidos do New York Times durante várias semanas consecutivas, sendo uma das investidas mais bem-sucedidas da DC Comics nos últimos tempos.

Nos Estados Unidos, já foi lançada a segunda graphic novel da série, além de um volume dedicado ao Batman (leia uma resenha aqui). J. Michael Straczynski é um escritor de talento reconhecido, mas que errou a mão no arco de histórias Solo, da série mensal do Superman. Em Terra Um, ele finalmente alcança a redenção ao contar a história que sempre quis.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Silas Diamante

    Comprei o volume 2 e gostei muito. Esse volume 1 está muito caro, será que vão voltar a produzi-lo? Pois não creio que vale pagar 130 reais nesse quadrinho e está este preço por ter tornado-se raro.