THE AWESOME TRASH-SACK CHILD

Por Eduardo Nasi
Data: 1 dezembro, 2012

THE AWESOME TRASH-SACK CHILD

Editora: Independente – Edição especial

Autor: Yuri Moraes (texto e arte).

Preço: R$ 15,00

Número de páginas: 56

Data de lançamento: Dezembro de 2012

 

Sinopse

The Awesome Trash-Sack Child conta a trajetória do jovem Tibo, um saco de lixo criança que leva uma vida realmente muito difícil.

Vítima do trabalho escravo, da Aids e da sua própria fisiologia (que não inclui um pênis, por ser um saco de lixo), Tibo protagoniza uma história emocionante, cheia de luta e sofrimento, tendo que enfrentar desafios como lagartos e um Miguel Falabella nazista.

Positivo/Negativo

Sempre se fala sobre o quanto é importante para o mundo dos quadrinhos crescer e ganhar corpo como indústria. Um tema que acaba ficando de lado é a vantagem de ser nicho.

Viver no gueto dá algumas vantagens e liberdades. Só longe de olhares críticos de moralistas de plantão é que pode surgir uma pequena preciosidade do humor negro como The Awesome Trash-Sack Child, de Yuri Moraes.

Roteirista e diretor de humor para cinema e TV, o autor ganhou espaço nos quadrinhos quando, no ano passado, lançou o memorável álbum Garoto Mickey. A HQ chamou atenção e rendeu bons elogios.

Um ano depois, lança seu novo trabalho. Em vez de uma HQ em formato livro, com editora e fôlego para 224 páginas, o leitor vai encontrar um fanzine independente, do tamanho de um passaporte, com uma pegada bem mais artesanal. A tiragem é numerada, de apenas 100 exemplares em preto e branco, com uma sobrecapa de plástico.

Importante: o texto é em inglês, sem tradução para o português.

No miolo, o leitor encontra uma história de humor ácido e agressivo, que flerta com o ultraje. Yuri toma emprestado de um fabricante de sacos de lixo um gimmick e o transforma em Tibo. Tudo é profano e merece deboche: celebridades, nazismo, Aids, estupro, violência sexual, aborto e por aí vai.

Mas Tibo não só é uma criança, mas também parece um personagem infantil, o que só acentua o tom satírico.

A narrativa também induz a associação com o universo infantil: lembra um livro para crianças. Tecnicamente, fica naquele território de fronteira que define o que é HQ. Maníacos por classificar tudo podem apontar que a história não tem balões, que parece mais um livro ilustrado, e outros vão contra-argumentar afirmando que há uma narrativa sequencial. Na prática, importa se é bom.

Em tempos de politicamente correto, Yuri Moraes ousa como poucos atualmente. E é bom que possa fazer isso sem provocar a ira dos idiotas, sem ter que ouvir sermões babacas, sem ser acuado por uma imprensa desinformada. Às vezes, viver no gueto é maravilhoso.

Não se engane: The Awesome Trash-Sack Child é doente, terrível, ofensivo, profundamente perverso. É um ataque frontal à moralidade e à decência. Portanto, é brilhante.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.