UNIVERSO MARVEL # 13

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2006


Título: UNIVERSO MARVEL # 13 (Panini
Comics
) – Revista mensal
Autores: Grandes Encontros Marvel – Robert Kirkman (roteiro) e Scott Kolins (desenhos);

Quarteto Fantástico – Mark Waid (roteiro) e Mike Wieringo (desenhos);

Novos Thunderbolts – Fabian Nicieza, Kurt Busiek (roteiro) e Tom Grummett (desenhos);

Hulk – Peter David (roteiro) e Lee Weeks (desenhos).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Julho de 2006

Sinopse: Grandes Encontros Marvel – Homem-Aranha e Cavaleiro da Lua se unem para derrotar a ameaça do Mestre do Picadeiro.

Quarteto Fantástico – Galactus tenta aprender o que é ser humano.

Novos Thunderbolts – Enquanto o plano do Homem Púrpura prossegue, Wolverine enfrenta o Espadachim pela vida do barão Strucker.

Hulk – Banner terá que lutar por sua sobrevivência na estranha ilha, mas seu inimigo é ninguém menos o que o Hulk.

Positivo/Negativo: Como sempre, Grandes Encontros Marvel apresenta uma história com muita ação e bom-humor. Kirkman tem aproveitado bem o Homem-Aranha, fazendo-o interagir com outros personagens da melhor forma possível, além de resgatar um vilão clássico como o Mestre do Picadeiro e trabalhá-lo de uma forma diferente. Além disso, fica no ar a trama envolvendo o misterioso Titanus.

Scott Kolins continua seu ótimo trabalho. Suas cenas de ação e sua forma de representar os heróis em movimento são interessantíssimas. Ele tem um trabalho que, num primeiro momento, pode parecer “sujo”, mas todos os riscos são calculados para intensificar as cenas.

Quarteto Fantástico está em outro daqueles arcos que se estende mais do que deveria. A edição gira em torno da adaptação de Galactus à sua nova condição e como ele enxerga apenas o pior dos seres humanos. Mesmo assim, está disposto a fazer um sacrifício final para libertar o universo de sua implacável fome.

Para fechar esta história meio sem propósito, Reed tenta trocar os poderes de Johnny e Sue, mas acaba transferindo os poderes do Quarteto para quatro civis espalhados pela cidade. Pra variar, fica a dúvida se isso fará a próxima história melhorar ou afundar de vez.

Novos Thunderbolts continua fraco. Metade da história é uma luta entre Wolverine, o Barão von Strucker e o Espadachim. E a trama está em contradição com o que aconteceu no arco de Millar em Wolverine, já que Logan estava seguindo as ordens de Strucker e não contra ele.

A única coisa interessante é a participação do Homem-Púrpura, um personagem que cresceu muito devido ao trabalho de Bendis em Alias, narrando a história e falando da arte de manipular pessoas. O restante da revista é uma briga interna do grupo que não leva a lugar algum.

O desenho de Tom Grummett é muito bom, mas como segue aquele traço tradicional de super-heróis, não chama a atenção por nada em especial.

A trama de Peter David em Hulk ainda continua bem fechada. Apesar de ser impossível saber o que é verdade ou não na história, o trabalho com o passado de Banner e sua mente perturbada desde a juventude está muito interessante. Não dá para dizer que é algo completamente inédito, mas está funcionando.

O desenho de Lee Weeks também é competente. Ele consegue dar o clima correto para a história, principalmente devido ao bom trabalho do colorista, que deu tons excelentes para os flashbacks e as cenas na ilha.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.