VAGABOND # 18

Por Marcelo Naranjo
Data: 1 dezembro, 2001

Vagabond #18

Título: VAGABOND # 18 (Conrad Editora) – Revista Mensal

Autores: Takehiko Inoue (roteiro e arte).

Número de Páginas: 112

Preço: R$ 6,30

Data de lançamento: Maio de 2003

Sinopse: Musashi está decidido a enfrentar o famoso Yagyu Sekishusai. Mas o problema é que os espadachins da Casa Yagyu estão proibidos de receber samurais peregrinos.

Então, Musashi envia uma carta, por intermédio de seu discípulo Joutaro. Enquanto aguarda uma decisão, o menino é atacado pelo cão que toma conta do local.

Na carta, Musashi pergunta quem fez o corte no caule de uma flor, que estava em poder de uma mulher do castelo. Ele percebe algo de especial no corte, mas não consegue definir o quê.

No castelo, os samurais descobrem que o corte foi feito pelo próprio Yagyu, e convidam Musashi para trocar idéias sobre o caminho da espada.

No entanto, Musashi tem outros planos, e decide provocar a todos na tentativa de conseguir um duelo. Sua estratégia não funciona, mas um acontecimento inusitado pode fazer com que atinja seus objetivos.

Positivo/Negativo: A saga de Musashi melhora a cada edição, especialmente depois do número 14.

Nesta edição salta aos olhos o virtuosismo do artista Takehiko Inoue. Seus desenhos são extremamente detalhados, com nuances que merecem uma leitura mais calma, para apreciar o talento destilado em Vagabond. Curiosamente, isso é o oposto do que oferece, em geral, o gênero mangá, que pede uma leitura rápida.

O artista não abre mão de todos recursos visuais possíveis: jogos de luz, sombras, closes. Os personagens criam vida por si próprios, basta examinar suas expressões a cada momento. Suspense, filosofia, humor… o roteiro está a serviço da arte, e vice-versa.

O temperamento do personagem principal é outro atrativo. Musashi tem um caráter contraditório, um gênio explosivo e um carisma próprio. Mesmo sabendo que algumas de suas atitudes não são corretas, elas acabam soando simpáticas ao leitor.

Na edição há ainda seção de cartas e textos explicativos sobre costumes e aspectos da cultura japonesa.

Vagabond é o melhor titulo adulto de mangá nas bancas atualmente. Vale a pena conhecer. O único problema é que, por ser uma série contínua, o ideal é fazer o redundante, ou seja: começar a ler do início, a partir do número 1.

Classificação: Marcelo Naranjo

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.