VERTIGO # 1

Por Tiago Pavinato Klein
Data: 3 julho, 2009


Autores: Lugar Nenhum – Mike Carey (texto) e Glenn Fabry (desenhos);

Hellblazer – O barato da vida – Mike Carey (texto) e Steve Dillon (desenhos);

Sandman Apresenta: a Tessalíada – Bill Willingham (texto) e Shawn McManus (desenhos);

Escalpo – Nação Indígena – Jason Aaron (texto) e R. M. Guéra (desenhos);

Vikings – O retorno de Sven – Brian Wood (texto) e Davide Gianfelice (desenhos);

Preço: R$ 9,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Outubro de 2009

Sinopse: Lugar Nenhum – Richard encontra uma misteriosa mulher ferida no meio da rua, o que o conduzirá para a “Londres de baixo”.

Hellblazer – John Constantine está de volta a Londres, e no edifício em que sua irmã mora misteriosos fatos começam a ocorrer.

A Tessalíada – Thessaly, uma bruxa do universo de Sandman, vive como uma universitária em Nova York, até que figuras do seu passado surgem atrás de vingança.

Escalpo – Dashiell Cavalo Ruim, um índio lakota, se infiltra na própria reserva indígena, em busca de provas contra o chefe Corvo Vermelho, responsável pela rede de drogas e crime que corrói a tribo.

Vikings – Sven descobre que seu tio tomou o poder no vilarejo em que morava, levando o terror às pessoas. Por isso, ele resolve voltar para retomar o poder que era de seu pai.

Positivo/Negativo: A volta da publicação da Vertigo no Brasil já vale este lançamento. Depois do quase final da Pixel (a editora ainda publica Luluzinha Teen), os leitores ficaram órfãos, com muitas séries incompletas.

A Panini começa realizando um bom trabalho, juntando séries conhecidas e outras inéditas no Brasil nesta primeira edição.

Algumas histórias se destacam. A bastante elogiada Escalpo já mostra a que veio, relatando a vida de uma reserva indígena que, na atualidade, é controlada por um chefe ligado ao jogo e às drogas. Há grandes sinais de decadência, apesar de um grupo lutar contra este destino para os índios.

A trama é excelente, ainda mais para fãs das sagas de faroeste, pois dá uma nova perspectiva, mostrando a reserva nos dias atuais e todos os problema ligados à inserção no mundo globalizado. O texto de Aaron é competente e a arte do iugoslavo R. M. Guéra, mais estilizada, contribui com o clima policial.

Hellblazer, depois da irregular fase de Brian Azzarello, em que Constantine estava nos Estados Unidos, é reiniciada com a volta do personagem a Londres. E com uma história bacana, com personagens da cronologia, e um mistério ligado a um edifício onde fatos misteriosos ocorrem.

O texto de Mike Carey cumpre seu papel e o desenho de Steve Dillon já é velho conhecido dos leitores do personagem. Uma volta promissora. A Panini também anuncia um encadernado da saga que ficou incompleta na Pixel Magazine.

Só ficou estranho mesmo o fato de Constantine, de barba e bigode, não estar loiro e sim com cabelos castanhos. Uma falha da colorização original.

Lugar Nenhum, série em nove partes, fecha a tríade das melhores
histórias da edição de estreia. Adaptação do romance de Neil Gaiman (lançado
no Brasil pela Conrad), narra a história de um personagem que descobre
a “Londres de baixo”, um mundo parecido com o nosso, mas cheio de magia.
O texto de Mike Carey adapta com fidelidade o livro de Gaiman, ao menos neste início, e o desenho de Glenn Fabry faz o leitor visualizar os personagens da obra original com bastante clareza.

Vikings e Sandman Apresenta não começam com a mesma força das outras séries.

Vikings também é uma badalada série regular da Vertigo, mas esse início não traz muitas novidades – apenas uma história lugar-comum, com sangue, violência e busca de vingança.

A expectativa é que melhore, já que conta com Brian Wood, de Local, nos roteiros; e traz na arte o italiano Davide Gianfelice, com um desenho lindo – a página de abertura, duas embarcações no meio do oceano, é excepcional.

Gianfelice também está ilustrando para a Vertigo uma série de Peter Milligan, Greek Street.

No entanto, há na história um momento que dá toda pinta de ter sido um erro cometido na edição original e repetido aqui. O encontro de Sven com seu tio saiu em uma página ímpar e outra par, mas basta ver a arte pra notar que tem todo jeito de ter sido produzido para ser publicado numa dupla.

A série Sandman Apresenta, em quatro edições, se diferencia um pouco do resto da edição, mostrando a vida da bruxa Thessaly como universitária em Nova York. O texto de Willingham é um tanto cansativo, e a arte de McManus também não empolga.

Ainda assim, a edição de estreia está caprichada, e fica a torcida para que a Panini consiga manter a revista nas bancas, assim como os outros lançamentos já anunciados do selo Vertigo: a continuidade de Fábulas em encadernados, de onde parou, Y, DMZ (rebatizado como ZDM), 100 Balas, Preacher (começando do último álbum) e Sandman, em edições definitivas.

Neste primeiro número, a Panini optou por usar as páginas extras para trazer previews de ZDM e Y, além de um texto com as próximas novidades. Espera-se, no entanto, que nas próximas edições a revista publique textos de apoio e materiais de referência para os leitores, pois várias das séries merecem esse tratamento diferenciado.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.