Vertigo # 44

Por Tiago Pavinato Klein
Data: 21 agosto, 2013

Vertigo # 44Editora: Panini Comics – Revista mensal

Autores: Hellblazer – Segredos e mentiras – Peter Milligan (roteiro), Guiseppe Camuncoli (arte), Stefano Landini (arte-final) e Jamie Grant (cores)– Originalmente em Hellblazer # 251;

Escalpo – Você precisa pecar para ser salvo – Jason Aaron (roteiro), R. M. Guéra (arte) e Giulia Brusco (cores) – Originalmente em Scalped # 45;

Casa dos Mistérios – Dois indivíduos – A concepção – Matthew Sturges (roteiro), Luca Rossi (arte), José Marzan Jr. (arte-final) e Lee Loughridge (cores) – Originalmente em House of Mystery # 34;

Vampiro Americano – O negociador – Scott Snyder (roteiro), Rafael Albuquerque (arte) e Dave McCaig (cores) – Originalmente em American Vampire # 34;

Punk Rock Jesus – Discípulos – Sean Murphy (roteiro e arte) – Originalmente em Punk Rock Jesus # 5.

Preço: R$ 10,90

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Julho de 2013

Sinopse

Hellblazer Uma misteriosa infecção de pele ataca John Constantine.

Escalpo Surge um adversário para Corvo Vermelho na disputa para ser presidente tribal.

Casa dos Mistérios  Caim tenta colocar um pouco de perspectiva na vida de Fig. Será que ela vai escutar?

Vampiro Americano  Histórias do passado são desencavadas em uma investigação sobre o negociador.

Punk Rock Jesus – Chris agora é um astro da música punk, e isso o coloca em diversos conflitos religiosos e sociais.

Positivo/Negativo

A edição marca a estreia da fase de Peter Milligan com Hellblazer, a última do personagem dentro do selo Vertigo. E aqui Constantine tem um novo affair, uma misteriosa infecção de pele, uma greve de 12 anos atrás como prólogo e muitas possibilidades sendo lançadas e nenhuma resposta por ora.

É a primeira parte de um arco em três edições, então é esperar para compreender por quais caminhos Milligan levará o personagem. A arte de Camuncoli é muito bonita, criando todo o novo clima para o início da despedida de Hellblazer.

Escalpo traz uma novidade para o chefe Corvo Vermelho: ele terá adversário na próxima eleição para presidente tribal. Cansado da maneira como a reserva é tratada, um grupo lança Hasell Rocha Medicinal para disputar com o então “dono do pedaço”.

Ao mesmo tempo, Dash é nomeado assistente do chefe da reserva. É apenas a primeira parte do arco, mas os ares da eleição já prometem muita emoção para as próximas edições.

Casa dos Mistérios segue em direção ao final de mais um arco, e as peças vão sendo posicionadas para a conclusão. Os irmãos Keele seguem tramando, e o leitor descobre mais sobre o casal da Concepção, e que Fig vai ser lançada… no olho do furacão.

A história menor que compõe a edição é muito boa, uma homenagem aos filmes B de terror, nos quais todas as soluções parecem simples e, muitas vezes, inverossímeis.

Vampiro Americano traz a última edição da série antes da pausa feita nos Estados Unidos (a revista saiu nos Estados Unidos em fevereiro de 2013, e será retomada no final do ano). Uma história completa, com Abilena Book e diversas tramas passadas, trazendo mais perguntas do que respostas para a continuidade.

Durante essa pausa de Vampiro Americano, a Panini já anunciou um especial, The long road to hell, para compor o mix mensal de Vertigo.

E Punk Rock Jesus parte rumo ao desfecho. Chris e sua banda são famosos, com músicas e posturas antirreligiosas, ao mesmo tempo em que preparam um show em Jerusalém.

A série assume outra velocidade, com os fatos se sucedendo mais rapidamente do que o período em que ele estava dentro do reality show. Chris também torna-se um personagem inflexível (e Thomas, uma espécie de voz da sua consciência, tentando não deixar o garoto sair muito de rumo), até mesmo com um postura arrogante.

É grande a curiosidade para saber como Sean Murphy vai encerrar a série. Há algumas pontas soltas, que devem ser aproveitadas (como o segredo de Sarah e Rebeca). E fica a dúvida se um grupo punk liderado por um suposto clone de Cristo faria tanto estardalhaço com sua música, Ainda assim, Murphy mantém a qualidade desta que, provavelmente, é a melhor minissérie já publicada na revista Vertigo.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.