Vincent

Por Rodrigo Scama
Data: 30 janeiro, 2015

VincentEditora: L&PM – Edição especial

Autora: Barbara Stok (roteiro e arte).

Preço: R$ 29,90

Número de páginas: 144

Data de lançamento: Outubro de 2014

Sinopse

A holandesa Barbara Stok faz uma biografia em quadrinhos dos últimos – e mais produtivos – anos de Vincent Van Gogh, um dos principais nomes das artes plásticas mundiais.

Com um traço leve, singelo e por vezes infantil, a autora leva o leitor à França do final do Século 19 para conhecer o homem Vincent, seus anseios e suas motivações.

Positivo/Negativo

Vincent Van Gogh é, sem dúvida, um dos maiores expoentes das artes plásticas de todos os tempos. Seus autorretratos, sua noite e seus campos de trigo são famosos no mundo inteiro, e estão espalhados não apenas no seio da pintura, mas também na cultura pop, que vai desde canecas até capas de caderno cujos motivos são suas artes.

O que Stok faz é tentar traduzir a genialidade e a loucura deste atormentado gênio em uma obra simples, de fácil assimilação e com uma leitura rápida. Em alguns pontos, ela é bem-sucedida, em outros nem tanto.

O que salta aos olhos ao folhear a obra são os traços singelos que a autora empregou para desenvolver a história. Muito próximo da linha clara, sem sombras, direta, linear e bem humorada, o Vincent de Stok é mais próximo do leitor do que provavelmente seria caso fosse apenas outra biografia escrita.

O mesmo pode-se dizer de Theo, irmão de Van Gogh, que também servia como seu marchand.

Os ataques coléricos de Van Gogh e seus devaneios são retratados pela autora por meio de riscos, cores e formas que convivem com o protagonista sempre que este está em algum estado alterado. E talvez aí esteja um dos problemas da obra.

Stok decide dar um tratamento muito “engraçado” às crises do pintor. Salvo uma ou duas vezes, em que foi muito feliz ao retratar a loucura e suas consequências, quase sempre, em vez de ficar compadecido pelo problema do artista, o leitor acaba rindo, pois os desenhos são engraçados, como que minimizando os ataques de fúria e não levando-os muito a sério.

A trama, que começa com a despedida dos irmãos Van Gogh em 1888, quando Vincent parte para a cidade francesa de Provence, mostra claramente duas das maiores características do mestre da pintura: a paixão pelo trabalho e a culpa por ser sustentado financeiramente por Theo.

A primeira das características é mostrada pela autora com um Vincent que só pensa, só fala e só respira trabalho. Ele não se dá tempo para diversões ou para cultivar as amizades. Tanto que, em uma das principais passagens, um grande amigo de Van Gogh vai embora porque não aguenta mais um companheiro que só fala de trabalho.

E o protagonista fazia isso por pensava ser um fardo para o irmão. Em diversos momentos, Barbara Stok retrata o pintor fazendo contas de quanto precisa pagar a Theo e quando conseguirá saldar tal dívida.

Por outro lado, a autora deixa claro que Theo não se incomodava em sustentar o irmão, e se importava mais com a saúde dele do que com contas e dívidas.

Uma decisão acertadíssima de Stok foi colocar na obra diversas cartas entre Vincent e Theo, ajudando a compor ainda mais o quadro familiar. Outro ponto forte foi a autora não tentar criar em cima do personagem.

Muito se especula acerca dos motivos de Van Gogh ter cortado um pedaço de sua orelha, mas não se sabe o que realmente aconteceu. E a quadrinhista holandesa não inventa uma história. Ela deixa claro que possivelmente jamais se saberá o que aconteceu.

O mesmo pode-se dizer da morte do protagonista, que até hoje gera especulações. Stok também não tenta adivinhar e deixa a resposta no ar.

Outra belíssima ideia da autora foi colocar no seu traço as obras de Van Gogh. Aqui vai uma dica para quem não leu o livro: faça-o com a internet aberta, para ver como Barbara Stok releu as pinturas.

E nesse ponto, vale alertar para uma falha na tradução. Na página 57, há uma referência à obra A Noite Estrelada, inclusive com uma releitura de Stok. Mas o quadro retratado é, na verdade, Noite Estrelada Sobre o Ródano. A verdadeira A Noite Estrelada aparece na página 181.

Se você já conhece a obra de Van Gogh, pode ser muito interessante descobrir esta nova leitura da sua biografia. Se não sabe nada sobre o pintor, melhor se informar um pouco antes de ler esta HQ de Stok. Ou pode achar a vida do protagonista simplista demais, já que parece faltar à trama um aprofundamento maior na vida dele.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.