Visão – Volume 1 – Pouco pior que um homem

Por Gustavo Nogueira
Data: 29 março, 2018

Visão – Volume 1 – Pouco pior que um homemEditora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Tom King (roteiro), Gabriel Hernandez Walita (desenhos) e Jordie Bellaire (cores) – Originalmente em The Vision # 1 a # 6 (tradução Paulo França e Leonardo Camargo).

Preço: R$ 40,00

Número de páginas: 136

Data de lançamento: fevereiro de 2018

Sinopse

O Visão quer ser humano. E o que é mais humano do que formar uma família?

Para isso, ele retorna ao laboratório onde Ultron o criou e o moldou para ser uma arma. Então, os construiu. Uma esposa. Dois gêmeos adolescentes. Todos herdaram sua aparência. Seus poderes. E compartilham de sua grande ambição (ou obsessão?): a necessidade incessante de ser normal.

Eles são a família da casa ao lado, e têm poder para matar todos nós. O que poderia dar errado?

Positivo/Negativo

Tom King é o nome do momento, cada obra lançada com sua assinatura é sucesso certo. Todo burburinho deve se investigar, pois na fraca safra atual de quadrinhistas da Marvel e da DC torna-se mais fácil de se destacar.

Na contracapa desta edição, há uma frase de Bryan K. Vaughan (Saga): “Esta nova HQ do Visão do Tom King e do Gabriel H. Walita é tão boa quanto dizem.” Se Vaughan está dizendo, é um grande parâmetro, e ele está certo.

Por mais que o mais correto seja dar o brilho desta obra à dupla de criadores, a condução da trama feita por King se sobrepõe a qualquer outro aspecto do quadrinho. O roteirista utiliza artifícios que causam curiosidade, como, por exemplo, contando como será o desfecho da história para alguns personagens, demonstrando que o importante não é o fim, mas sim como se chegará até lá. Visão é um espiral rumo ao caos.

O autor já havia chamado a atenção com a fase atual do Batman e a série O Xerife da Babilônia, pois seus enredos, geralmente, instigam o leitor pela simplicidade. As reviravoltas não são revolucionárias e, em alguns momentos, mostram-se até previsíveis. Mas, no caminho, o leitor fica preso em diálogos diretos e precisos.

Visão – Pouco pior que um homem tem ares de Shakespeare – o próprio título é uma referência à peça O mercador de Veneza, do dramaturgo britânico. A disfuncionalidade da família Visão possui tom teatral, mas, ainda assim, real. O sintozoide e os seus poderiam encenar uma ótima peça de teatro sobre o “lado negro” do American Way of Life.

O personagem criado por John Buscema e Roy Thomas tem uma grande história na Marvel, e ela também é aproveitada, como o casamento com Wanda Maximoff, a Feiticeira Escarlate, e a clássica história Até um androide pode chorar. Ambas são utilizadas de forma pontual, com o intuito de mostrar que a trama se situa no cânone da “Casa das Ideias.

Da arte, é importante ressaltar também a colorização de Bellaire, com tons vivos, mas mesclada com outros mais “duros”, criando o tom de thriller e de que algo não está certo. O desenho de Walita é competente, e chama a atenção em detalhes, como ao “brincar” com elementos da casa dos Visões

A edição segue o formato padrão das publicações da Panini da linha Nova Marvel, com capa dura e miolo em papel couché, e tamanho de 17 x 26 cm. É um formato ideal para uma obra de nicho, mas que realmente merece um acabamento um pouco luxuoso.

Classificação

4,5

.

Compre esta edição aqui!

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • ninguém

    E sem Visão!

  • Francisco Castro Jr.

    Ia comprar, mas nesse momento difícil e com esse preço inflado, ficou ruim. Aliás, agora em março parei de comprar TODAS as mensais que acompanhava: Guardiões, Thor, Homem de Ferro, Vingadores, Universo Marvel. A última vez que tive que suspender minhas mensais assim foi em 2003, se não me engano. Dona Panini, sinto muito, mas pagar o aluguel (e o gim das crianças) ainda vem em primeiro lugar…

    • Luiz Flávio Martins

      Prezado, infelizmente estou quase na mesma situação… Já deixei de comprar vários encadernados e estou cu$tando para manter a compra das mensais que coleciono (as do Batman e da Vertigo)… Panini inflacionou os preços justo num momento de séria crise econômica… E entre pagar o aluguel ou comprar as revistas, a escolha que se impõe é óbvia…

  • FINASTERIDO

    Imagine um filme típico da Tela Quente sobre uma família com problemas básicos de aceitação pela vizinhança numa cidade do interior dos EUA. Garoto que não se adapta à escola, bullying e reclamação adolescente. Acrescente um casal discutindo trivialidades sobre como ser aprazível para fazer novos amigos nas redondezas, um cachorrinho etc. Para dar emoção, coloque um psicopata (que pode ser um vilão de quinta categoria). Pronto. Tom King pegou esse enredo básico e amontoado de clichês norte-americanos e inseriu o visão e sua família. São sintozóides? e daí? se fossem humanos o enredo seria exatamente o mesmo. Humanizar o Visão nunca me pareceu uma boa ideia, e essa série é sobre isso.

  • Markwheav

    Não precisavam ter publicado em capa dura… queria muito ler, mas nessas condições, sou obrigado a passar. :(

  • Heberton Arduini

    Preço de capa ruim mas pera-la, paguei uns 22 reais com desconto. E esses valeram cada centavo.

    • ninguém

      Eu paguei R$ 17,14.

  • André Carboni

    Essa série não é sobre humanizar o visão, e sim como a feiticeira escarlate realmente é louca e fora de controle.

    • FINASTERIDO

      Essa série é sobre humanizar o Visão. O visão e sua família são submetidos aos mesmos problemas de uma família classe média americana. E a preocupação do Visão, mulher e filhos é procurar agir ao máximo como a vizinhança. A proposta de Tom King é bem clara, só pelas capas voce pode perceber isso de cara.