WOLVERINE # 20

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2006


Título: WOLVERINE # 20 (Panini
Comics
) – Revista mensal
Autores:Wolverine – Mark Millar (roteiro) e John Romita Jr. (desenho);

Arma X: Dias de um futuro presente – Frank Tieri (roteiro) e Bart Sears (desenho);

Cable & Deadpool– Fabian Nicieza (roteiro) e Patrick Zircher (desenhos);

Madrox – Peter David (roteiro) e Pablo Ramondi (desenhos).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Julho de 2006

Sinopse: Wolverine – Liderados por Elektra e Estrela Polar, centenas de superseres a serviço da Hidra atacam o aeroporta-aviões da S.H.I.E.L.D., e a única esperança de Nick Fury é Wolverine.

Arma X: Dias de um futuro Presente – A derrota dos X-Men para o Arma X.

Madrox – A última cartada de Madrox.

Cable & Deadpool – Cable descobre que usar o sangue de Deadpool para salvar a própria vida não foi uma boa idéia.

Positivo/Negativo: Antes de tudo, um elogio à capa que faz referência ao trabalho clássico de Jim Steranko na revista Nick Fury – Agente da S.H.I.E.L.D.. Quanto a história, como sempre, muita ação num ritmo legal, permitindo que John Romita dê um espetáculo. O final também é interessante. Afinal, é algo típico de Logan querer matar todos os inimigos, um a um, independente de quantos forem.

Arma X: Dias de um futuro Presente acabou caindo na terrível mesmice dos futuros alternativos envolvendo os mutantes. Malcolm Colcord é dilacerado pelo Wolverine, volta um ano depois com Sentinelas, que já estão manifestando sinais de uma consciência própria, mata todos os X-Men e arrebenta Logan, que estará regenerado e pronto para a revanche na próxima edição. Quantas vezes isso já foi visto?

O desenho é bom, mas não o suficiente para compensar uma trama tão batida.

Com o final de Madrox, os mistérios que vinham acontecendo finalmente são esclarecidos. O interessante desta série é que ela foi uma história de detetive, no melhor estilo noir, em que o personagem principal não é um bom investigador. Mas vale tanto pela trama quando pelo desenho, que deu um bom clima para a aventura.

Cable & Deadpool não poderia ser pior. Os dois personagens agora são “irmãos genéticos” e a conclusão da trama científica um tanto absurda em que foi baseada teve que deixar o bom-humor que a caracterizava de lado.

Quem gosta das demonstrações de poder de Cable, vai até se divertir, pois o desenhista teve espaço para caprichar nos detalhes, mas, no geral, é uma série fraca.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.