WOLVERINE # 38

Por Sidney Gusman
Data: 1 dezembro, 2008


Autores: Paul Dini (roteiro) e Alex Ross (desenhos).

Preço: R$ 129,00

Número de páginas: 392

Data de lançamento: Março de 2008

Sinopse: Álbum que compila e republica as edições especiais Superman – Paz na Terra, Batman – Guerra ao Crime, Shazam – O Poder da Esperança, Mulher-Maravilha – O Espírito da Verdade, LJA – Origens Secretas e LJA – Liberdade e Justiça. As quatro primeiras lançadas pela Abril; e as demais pela Panini.

Superman – Paz na Terra – Em pleno Natal, o Homem de Aço decide usar seus poderes para acabar com a fome do mundo, mas não será tão simples quanto ele imagina.

Batman – Guerra ao Crime – Batman resolve atacar as verdadeiras causas da criminalidade em Gotham, a miséria e o desespero que assola as ruas.

Shazam – O Poder da Esperança – O Capitão Marvel passa um dia ao lado de crianças doentes e desamparadas e aprenderá uma lição inesquecível. Especialmente para seu alter ego.

Mulher-Maravilha – O Espírito da Verdade – A Princesa Amazona quer ajudar os seres humanos, mas mundo afora encontra resistência – e das grandes. Como é difícil para Diana compreendê-los…

LJA – Origens Secretas – Um rápido resumo das origens de Flash (Barry Allen) , Lanterna Verde (Hal Jordan), Aquaman, Caçador de Marte, Arqueiro Verde (com uma “ponta” da Canário Negro), Gavião Negro (na companhia da Mulher-Gavião), Eléktron, Homem-Borracha e da Liga da Justiça América, com menção a outros heróis, como Adam Strange, Zatanna, Metamorfo, Homem-Elástico, Vingador Fantasma e Tornado Vermelho.

LJA
– Liberdade e Justiça
– A Liga da Justiça enfrenta um inimigo
invisível e devastador: um poderoso germe que imobiliza as pessoas, deixando-as
às portas da morte.

Positivo/Negativo: Alex Ross é um artista que divide opiniões. Alguns adoram o seu desenho em estilo realista; outros o detestam, acusando-o de usar referências fotográficas como muletas. Mas pergunte a um editor do mercado de quadrinhos o que acontece quando uma pintura desse talentoso (e aqui fica claro a qual “corrente” este resenhista pertence) norte-americano estampa a capa de uma revista ou livro. É fato: Ross aumenta as vendas.

Sabendo disso, a Panini preparou este álbum com “apenas” seis histórias desenhadas por Alex Ross. E em boa companhia, pois Paul Dini é, assim como o artista, um grande conhecedor da essência dos personagens da DC – que o digam seus trabalhos nas séries animadas de Batman, Superman e Liga da Justiça.

A dupla, como Chip Kidd, o autor e designer do livro Mythology – The DC Comics Art of Alex Ross, bem detalha em seu prefácio, leva esses super-heróis de volta às suas raízes nessas histórias. Mas com um tempero adicional com o qual não estão acostumados a lidar – o fracasso.

E é explorando o lado humano desses seres quase mitológicos que Dini constrói três grandes obras: Superman – Paz na Terra, Batman – Guerra ao Crime e LJA – Liberdade e Justiça.

Nos dois primeiros, é quase palpável o sentimento de impotência de Superman e Batman em suas missões. Mas o mais bacana é como os dois mostram que, mesmo com tantos poderes, há casos em que a “solução” só virá após um longo e exaustivo trabalho, que começa com um pequeno, mas importante passo. Dado por um ser humano.

As histórias do Capitão Marvel e da Mulher-Maravilha seguem a mesma receita, mas sem o mesmo brilho. Ambas entretêm, só que não encantam tanto.

LJA – Liberdade e Justiça, brilha pela simplicidade. Mostrar os maiores super-heróis da Terra tendo enormes dificuldades para deter um inimigo invisível, que não quer conquistar o universo, mas ameaça a vida de toda a população mundial (o medo das pessoas comuns em relação ao vírus e aos integrantes da Liga parece saltar das páginas), foi uma grande sacada de Dini. Mais uma prova de que não existem personagens “batidos”, só mal trabalhados.

No álbum, apenas LJA – Origens Secretas destoa. Não é uma HQ ou um conto ilustrado, mas uma espécie de portfólio narrando de maneira muito rápida algumas origens. Menos mal que não perde tanto em meio às demais tramas.

Mas é no desenho que está o grande chamariz de Os Maiores Super-Heróis do Mundo. E não apenas no traço preciso de Ross, mas também na diagramação das páginas, nos enquadramentos variados e na alternância de planos. É verdade que, às vezes, a narrativa é “lenta”, porém não é nada que tire o prazer da leitura.

O livro traz ainda textos de Paul Dini e Alex Ross, sketches, referências fotográficas e comentários do desenhista sobre a produção das histórias e um pôster que de um lado tem uma imagem em quatro páginas (capa de Mythology) e do outro uma imagem da Liga da Justiça que, dividida, rendeu três capas para a revista Wizard, nas edições # 2, # 15 e # 17, da Panini, mais uma arte do natal da equipe.

O trabalho editorial da Panini foi ótimo. Passaram pequenos erros, como uma concordância na 14ª página da história do Batman (…”ser dominado por ela e toda as suas tentações?”), um “declararou” na aparição do Arqueiro Verde e da Canário Negro em Liberdade e Justiça e um a UNICEF (o correto é “o”), mas nada que tire o seu mérito. A editora, definitivamente, achou um nicho que há anos esperava ser preenchido – o dos produtos de super-heróis em livrarias. E o está ocupando com competência.

Os Maiores Super-Heróis do Mundo tem tudo para se tornar um sucesso comercial, apesar do preço. Trata-se de um produto que – pela beleza do traço – atrai inclusive gente que não curte quadrinhos, além de ser uma ótima “isca” para resgatar antigos leitores. Afinal, pelo conjunto da obra (desenho, texto e acabamento gráfico), esta talvez seja a mais bela edição de super-heróis publicada no Brasil até hoje.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.