X-MEN # 17

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 1 dezembro, 2001

X-Men #17Título: X-MEN # 17 (Editora Abril) – Revista mensal (último número)

Autores: X-Men – Chris Claremont (texto), Tom Raney, Adam Kubert, Leinil Francis Yu, German Garcia, Michael Ryan & Randy Green (lápis), Scott Hanna, Tim Townsend, Dan Panosian, Larry Stucker, Mark Morales, Pepoy & Ketchan (nanquim);
Bishop – Joseph Harris (texto), Georges Jeanty (Lápis), Art Thibert & Allen Martinez (nanquim).

Preço: R$ 10,00

Data de lançamento: Dezembro de 2001

Sinopse: Nos Estados Unidos, depois de Vampira ser eleita como a nova líder dos X-Men, o grupo é atacado por um novo e perigoso bando de inimigos. Boa parte dos X-Men e da cidade de Salem são seqüestrados, de forma rápida e silenciosa, deixando Vampira, Noturno e Wolverine com a missão de descobrir para onde seus colegas foram levados e uma forma de resgatá-los.

Na Rússia, o braço dos X-Men formado por Tempestade, Fera, Gambit, Cable e Jean confronta um bando de escravagistas modernos. Com a ajuda de um poderoso criminoso, Tempestade consegue resgatar seus amigos capturados e prender os responsáveis.

No entanto, o alívio dos mutantes dura pouco, já que o grupo acaba topando com piratas espaciais aliados dos escravagistas. Dessa vez, os X-Men sucumbem ao ataque, deixando o resgate nas mãos de Fera e Jean.

Goth. Esse é o nome do homem ou organização que capturou os X-Men. Wolverine, Vampira, Noturno, Fera e Jean se unem para encontrá-los e acabam indo parar em Honk Kong, onde obtém essas informações.

O confronto final se dá em Madripoor. Os X-Men de Vampira acabam entrando lutando com os de Gambit que, aparentemente, havia se aliado a Goth. No entanto, tudo faz parte de um plano do mutante cajun para desbaratar a organização do criminoso…

Bishop segue sua luta tentando, através de atos e ações, recrutar novos aliados que apóiem sua batalha pessoal contra Trevor Fitzroy. Depois de sucessivas derrotas, no entanto, as coisas podem começar a melhorar para ele, e seu objetivo fica cada dia mais próximo.

Positivo/Negativo: O grande destaque de X-Men vai para a arte de Adam Kubert e as cores de Isanove e do pessoal do Liquid!, que fizeram um trabalho quase irrepreensível nesta que foi a última edição da revista publicada pela Editora Abril.

Coincidentemente ou não, a história dos X-Men abrange um arco completo, que poderia, em outros tempos, ter continuações futuras. Chris Claremont melhorou um pouco com relação a seus trabalhos nas edições passadas, mas ainda está longe de ser o autor da fase de ouro dos mutantes.

Bishop segue naquele “chove não molha” que acometeu por anos o título do Spawn. Joseph Harrys parece não saber o que fazer com o personagem. Talvez esse seja um dos motivos pelo qual a revista foi prematuramente cancelada nos EUA. Infelizmente, não há – pelo menos a princípio – planos de Bishop figurar nos títulos mutantes a serem publicados pela Panini no próximo ano. Se assim for, a saga do mutante, assim como X-Men: Anos Incríveis ficará em aberto, sem sua conclusão.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.