X-Men # 3 – Abril – Premium

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 30 março, 2001

X-Men Premium # 3Editora: Editora Abril – Revista mensal

Autores: Wolverine – Erik Larsen e Eric Stephenson (texto), Leinil Francis Yu (lápis) e Dexter Vines (nanquim);

X-Men – Fabian Nicieza (texto), Walter McDaniel (lápis), Russel, Green e Koblish (nanquim);

Magneto – Joe Pruett (texto), Tom Raney (lápis), Holdredge, Decastro, Perrota e Martinez (nanquim);

X-Force – John Francis Moore (texto), Jim Cheung (lápis), Mark Morales e Rob Stull (nanquim).

Preço: R$ 9,90

Data de lançamento: Outubro de 2000

Sinopse

A edição é aberta com três histórias de Wolverine. Na primeira, Cable e o baixinho tentam ajudar um amigo de Logan e acabam confrontando Arnim Zola e suas aberrações genéticas.

A seguir, Wolverine e Noturno vão investigar um avistamento de Magneto em Nova York e se deparam com um bando de robôs. Derrotando-os, vão tomar cerveja em um bar das redondezas e acabam se envolvendo em mais confusão, especialmente após o surgimento de Solo e Cardíaco, que querem se vingar da surra que levaram de Wolvie quando ele estava possuído por Ária.

Finalmente, Xavier pede que Wolverine visite a sede da Escola Para Superdotados em Snow Valley, com o intuito de checar certos arquivos de segurança. Quando saía de lá, ele e Jubileu são transportados por Teleporter até o chalé de Cable na Suíça. Lá, a dupla entra em conflito com o ciborgue Pierce e Khyber, um novo personagem.

A história dos X-Men promete revelar o caminho feito por Gambit depois que fora abandonado na Antártica pelo grupo. O cajun fora possuído por uma mutante que havia morrido meses antes. Enquanto ele se vê teleportado para Manhattan, Indiana, Vampira, Fera e Medula vão até a fortaleza no pólo.

Lá, acabam descobrindo mais sobre Magneto e a mutante que estaria possuindo Gambit. Paralelamente, o ele investiga mais sobre o passado e a vida de Mary Purcell, a garota que, depois de morta, acabaria transformando-se em uma espécie de energia (provavelmente, seu poder mutante) e tenta se fundir permanentemente ao cajun.

Enquanto isso, Magneto está em Genosha. O mestre do magnetismo reavalia seu passado e começa a se preparar para o futuro como governante da ilha.

A X-Force fecha a edição. Jesse Aaronson, o novo integrante do grupo, conta com a ajuda de Dominó para encontrar seu irmão há muito desaparecido.

Sua busca leva-o a encontrar não apenas seu irmão, mas também os novos Satânicos, que trazem três personagens novos (Rei Tumulto – o irmão de Jesse -, Paradigma e Fase) e dois antigos (Tarô e Magma, apesar desta última não lembrar em nada a garota dos Novos Mutantes, apesar de ser a mesma pessoa).

Os novos Satânicos dizem estar lutando pelo sonho de paz entre mutantes e humanos. No entanto, a X-Force acaba descobrindo que o grupo pretende liberar sobre o mundo o mais poderoso mutante e prostrar a humanidade a ele e aos Satânicos.

As duas equipes se batem, mas a X-Force acaba sendo derrotada, em parte pelo fato de seu novo membro acabar ficando do lado do irmão, e não dos heróis.

Positivo/Negativo

Erik Larsen continua com seu trabalho de trazer de volta personagens sumidos ou desconhecidos para as histórias de Wolverine. É a segunda vez que ele resgata Solo e Cardíaco para serem coadjuvantes do baixinho.

O roteirista trabalhou com ambos em sua época com o Homem-Aranha, e deve ter criado uma certa afeição por eles.

Os X-Men agradaram pela volta do competente Fabian Nicieza e pela grata surpresa que foi Walter McDaniel. A história em si é bem razoável, com o roteirista preenchendo com sua já comprovada competência os buracos que envolviam o período entre o abandono de Gambit na Antártica e sua volta aos X-Men.

A história de Magneto parece ser apenas um “tapa-buraco”, até mesmo pelo seu pequeno número de páginas (13), e não mostra nada de notável.

Por fim, a X-Force melhorou bastante, mas ainda é apenas uma sombra do que um dia já foi.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.