X-MEN # 54

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2006


Título: X-MEN # 54 (Panini
Comics
) – Revista mensal
Autores: X-Men – Chris Claremont (roteiro) e Salvador Larocca (desenhos);

X-Men: Gólgota – Peter Milligan (roteiro) e Salvador Larocca (desenhos);

Novos X-Men – Academia X – Nunzio Defilippis e Christina Weir (roteiro) e Paco Medina (desenhos).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Junho de 2006

Sinopse: X-Men – A verdadeira natureza de Gólgota é revelada, descortinando um perigo muito maior do que os X-Men imaginavam: uma ameaça não apenas aos mutantes, mas a toda a Terra.

Novos X-Men – Academia X – Se conhecimento é poder, então David Alleyne é agora o homem mais poderoso do mundo. Como se sabe, porém, poder absoluto corrompe absolutamente…

Positivo/Negativo: O primeiro arco de Peter Milligan em X-Men não foi tão bom quanto poderia. Apesar de o autor explorar bem o lado disfuncional dessa formação do grupo (todos estão ali a contragosto, e os integrantes têm problemas entre si), a história não flui num ritmo adequado.

Com uma trama básica dos heróis combatendo a ameaça alienígena da semana e uma história truncada e longa demais, a revista acaba mais cansando o leitor do que entretendo.

O desenho de Salvador Larocca, como sempre, não é ruim. Apesar de ele ser um pouco preguiçoso e não dar sempre a mesma atenção aos detalhes, a arte seria mais funcional não fosse a péssima colorização, com um excesso de iluminação e brilho em todas as cenas.

Novos X-Men – Academia X deu uma grande virada. Com David podendo acumular o conhecimento que absorve, a dinâmica do grupo se alterou drasticamente, além de o personagem ter perdido o controle e ficado prepotente com todo o conhecimento adquirido.

O final é surpreendente, apesar de ficar claro que na próxima edição o leitor descobrirá que as coisas não são exatamente o que parecem.

O desenho de Paco Medina funciona de forma interessante, com seu traço simples e suas linhas arredondadas. Contudo, em algumas cenas ele cria desproporções desnecessárias.

 

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.