X-MEN # 74

Por Zé Oliboni
Data: 1 dezembro, 2008


Autores: X-Men Anual 1 – Mike Carey (roteiro) e Mark Brooks (desenhos);

Fabulosos X-Men – Ed Brubaker (roteiro) e Billi Tan (desenhos);

Novos X-Men – Craig Kyle, Chris Yost (roteiro) e Paco Medina (desenhos).

Preço: R$ 6,90

Número de páginas: 96

Data de lançamento: Fevereiro de 2007

Sinopse: X-Men – O grupo de Vampira vai até a S.H.I.E.L.D. para ajudar a salvar os gêmeos Beaubier, mas acabarão enfrentando Exodus e seu novo bando de acólitos.

Fabulosos X-Men – Uma conspiração está se armando no Império Shiar e o vice-chanceler pretende tirar Lilandra do poder. No meio da confusão política, Xavier é preso pelos Shiars e será torturado e morto se seus alunos não o encontrarem a tempo.

Novos X-Men – Emma continua tentando fazer X-23 ir embora da Mansão, mas seus amigos não querem isso, principalmente Mercury, que tenta convencer a garota a ficar.

Positivo/Negativo: Felizmente, a Panini optou por publicar a edição anual de X-Men no mix da própria revista mensal. Não que seja uma HQ excelente, mas é bem relevante para a atual cronologia dos títulos “X”. Além de reintroduzir os gêmeos Beaubier, agora com as mentes restauradas, mostra que a Dizimação foi além de simplesmente tirar os poderes dos mutantes ativos.

Mike Carey teve um começo muito ruim no principal título dos mutantes, mas agora dá sinais de que possui um plano maior sendo traçado. Ele parte da idéia que, algum tempo após o Dia M, já deveriam ter começado a nascer diversos novos mutantes.

Assim, Exodus e seu grupo, pretensos salvadores da raça vão até à S.H.I.E.L.D. para localizar essas crianças e a grande surpresa é que não há novos mutantes em potencial.

Obviamente, deve haver um gancho para continuar a trama e, no final, Exodus apela para o Sr. Sinistro, que diz ter a salvação para a perpetuação dos mutantes.

É impressionante como quando Carey se propõe a escrever uma história linear, com começo, meio e fim e sem milhares de subtramas caóticas, faz uma HQ gostosa de ler. Ainda mais com um desenho bem feito, como o de Mark Brooks.

Enquanto isso, Fabulosos X-Men entrou na linha “novelão mexicano”, tão freqüente nas histórias de grupos mutantes. Um casal de supostos inimigos faz sexo antes da batalha, a Imperatriz é traída, o ex-marido dela está sendo torturado e, mesmo assim, a trama não dá evolui. O jeito é esperar as cenas dos próximos capítulos.

Ao menos os desenhos de Tan continuam evoluindo. Ainda falta um estilo próprio para o artista e um trabalho mais habilidoso nas expressões faciais. Contudo, acompanhado de um bom arte-finalista e um excelente colorista, ele se vira bem.

Fechando a revista, um novo arco de Novos X-Men. Como em todo começo, a primeira edição dá um panorama geral de todos da equipe, mostra qual o status atual deles e como estão se sentido em relação às mudanças dos arcos anteriores.

A novidade é a presença de um novo inimigo, a ONE, provavelmente ligada ao grupo que criou a X-23. Tanto que uma personagem apresentada na recente minissérie da mutante (X-23 – Alvo X) retorna nesta história.

Para quem não leu a minissérie, a tal Kimura foi desenvolvida pelos mesmos cientistas que criaram a X-23 para servir de trava de segurança. Ela foi feita sob medida para derrotar a X-23.

Classificação:

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.