Yuri – Quarta-feira de Cinzas

Por André Sollitto
Data: 27 janeiro, 2012

Yuri - Quarta-feira de CinzasEditora: Conrad – Edição especial

Autor: Daniel Og (roteiro e arte).

Preço: R$ 36,00

Número de páginas: 272

Data de lançamento: Dezembro de 2011

Sinopse

Yuri está cansado de viver e decide se matar. Mas acaba voltando à vida em pleno carnaval e vai ter que lutar para conseguir o descanso eterno.

Positivo/Negativo

Os zumbis são os seres fantásticos do momento. Depois de vampiros, lobisomens e até anjos, os mortos que retornam à vida tomaram a cultura pop de assalto e apareceram em livros, filmes, séries de TV, games e quadrinhos.

Com uma oferta tão grande, é difícil encontrar histórias que se destaquem. Na maioria dos casos, a trama se resume a algum tipo de vírus que infesta uma cidade e torna a maior parte da população em monstros canibais. Nesse caos, um grupo de pessoas precisa sobreviver.

Em meio a essa falta de originalidade, Yuri – Quarta-feira de cinzas se destaca pela criatividade. O estreante Daniel Og criou um personagem carismático, um zumbi cínico e desanimado com a vida, que só quer descansar para sempre. Suas tentativas frustradas de morrer garantem momentos de diversão, mas fogem do humor negro pesado e ofensivo.

A arte é simples, quase caricata, mas muito eficaz. Sem exageros, o traço ajuda a dar o tom de sátira que faz de Yuri uma leitura tão agradável.

A influência do cartunista Lobo – que, segundo Og, deu pitacos na trama – pode ser notada na maneira como o Rio de Janeiro é retratado. O enfoque, aqui, é a vida de gente comum, da malandragem carioca, do povo que sai às ruas para se divertir no Carnaval. O mesmo tipo de gente retratado em Copacabana.

O único senão é que, em alguns momentos, falta unidade ao roteiro, mas nada que comprometa a obra, pois Yuri é uma boa HQ, de uma jovem promessa dos quadrinhos brasileiros. E é diversão garantida para quem procura uma história de zumbi que fuja do padrão.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.