A HQ mais doida do Recruta Zero

Por Marcelo Naranjo
Data: 24 fevereiro, 2014

Almanaque do ZeroEm 1989, a Editora Globo relançou o gibi e o almanaque do Recruta Zero, em formatinho. No Almanaque do Zero #1, uma aventura completa produzida no Brasil – e com certeza uma das HQs mais malucas de que o personagem já participou.

A trama começa com o desaparecimento do desenhista do Recruta Zero do estúdio – ele é sequestrado. Os donos da editora ficam desesperados, pois a revista vende bem. Assim, como ninguém consegue localizar o artista, decidem contratar alguém de fora para fazer as HQs. O escolhido é “o melhor desenhista da atualidade”, ninguém menos que Frank Milho, autor de “O Cavaleiro das Bregas” e “Electra Assanhada”.

O novo desenhista é excêntrico e nem um pouco humilde. A primeira HQ de sua autoria é O Sargento das Trevas, na qual a cidade de Swampy City tornou-se um antro de podridão e, para salvá-la, a antiga tropa do sargento é recomposta. Na aventura seguinte, Zeronin, Zero-San tem que enfrentar seu destino e cometer haraquiri, mas acaba levando Tainha-San junto com ele. Começa a lenda de Zeronin – obviamente, ambas brincam com O Cavaleiro das Trevas e Ronin.

Como aquilo não é o esperado para a revista, os donos da editora despedem Frank Milho e procuram outro autor.  Ao saber que “Mauricio da Silva” é o desenhista que mais vende no país, vão ao seu estúdio e o contratam. O resultado é uma HQ na qual o sargento tem seu coelhinho roubado.

No fim das contas, o desenhista do Zero é solto pelo doido que o sequestrou, um fã que queria HQs exclusivas, mas, ao saber o que Frank Milho aprontou, decide sequestrá-lo para que nunca mais faça histórias do recruta.

Na primeira página, um texto informa que a HQ foi aprovada por Mort Walker, que gostou da ideia de ver seus personagens em outros universos.

O roteiro da divertida HQ é do polivalente Ota. Pena que os desenhos não tenham sido creditados. Confira algumas páginas abaixo.

Zero

Zero

Zero

Zero

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • General ELL

    Eu li isso no barbeiro há MUITO tempo atrás e estava querfendo ler de novo, mas é impossível de achar!