O dia em que Hagar soltou um palavrão – ao pé da letra

Por Marcelo Naranjo
Data: 26 fevereiro, 2014

A revista Patota, da Editora Artenova, foi publicada durante a década de 1970 e teve 27 edições.

O mote do título eram as tirinhas, todas bem conhecidas à época – muitas até os dias de hoje. Dentre os destaques, Marly, Mafalda, Peanuts, Frank e Ernest, O Mago de ID, Dr. Fraud, Kid Farofa e outras.

Mas, sem dúvida, Hagar foi quem acabou por chamar a atenção de uma forma mais que inusitada.

Confira a imagem abaixo e tire sua conclusão sobre o que pode ter ocorrido na tradução. Uma brincadeira? Vingança do letrista? Distração do editor? Ou um upgrade no sentido da piada? Você decide, já que, possivelmente, jamais saberemos a verdade.

Citando ainda o que Toni Rodrigues (revista MeMo) postou no Blog do Universo HQ, na época em que a matéria sobre a revista Patota foi publicada no site: “Por muito menos que isso as revistas eram recolhidas das bancas na época, não creio que o editor tenha visto”. Ou seja, sorte que  tudo não acabou em uma grande… ops… confusão.

Hagar

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Rodrigo Medeiros

    Parker disse “porra” na edição 100, a do casamento com a Mary Jane. Foi a primeira que comprei e que iniciou o meu vício em quadrinhos de heróis. Eu tinha 11 anos e o uso do termo me impressionou bastante, acostumado que era aos quadrinhos Disney e da Turma da Mônica. rs