Uma carta de casa: a mais dramática e emocionante HQ da Família Pato

Por Marcus Ramone
Data: 7 abril, 2016

Don Rosa já havia concebido A Saga do Tio Patinhas e se tornado o Mestre dos Patos da Disney quando, em 2004, entregou à nona arte mais uma obra-prima de sua autoria, mostrando que seu auge criativo ainda vigorava.

A HQ Uma carta de casa, lançada na Dinamarca, em Donald Duck #9, é hoje considerada uma das melhores histórias em quadrinhos de todos os tempos.

A aventura é a continuação de The Fabulous Philosopher’s Stone (A fabulosa pedra filosofal, no Brasil), clássico de Carl Barks publicado originalmente em 1955.

Com roteiro impecável, narrativa envolvente e desenhos bastante detalhistas, a história possui uma carga dramática jamais vista nos quadrinhos Disney. O humor ainda dá a tônica (a hilária sequência do Pato Donald na latrina do castelo já virou clássica), mas a tensão entre Tio Patinhas e sua irmã Matilda, recheada com diálogos cortantes, é o ápice da trama, que ainda desfila uma verdadeira aula de História sobre a Ordem dos Cavaleiros Templários e as Cruzadas.

Numa só tacada, a HQ encerra os eventos ligados à Saga do Tio Patinhas e ainda resolve o mistério do tesouro do clã dos MacPatinhas (que desde a primeira história do pato muquirana, em 1947, permanecia insolúvel).

Uma carta de casa

Nela, presencia-se o Tio Patinhas chorando diante do túmulo dos pais; Matilda fazendo o pato muquirana confrontar sua própria consciência ao lembrar da destruição de uma aldeia africana – cujos habitantes, dentre eles crianças, se feriram e ficaram desabrigados –  por causa de sua ganância; e um clima tenso, pesado e pesaroso pelo qual o leitor não passa incólume. A Família Pato humanizada de uma forma impensável, até então.

Tudo convergindo para a entrega de uma carta do pai do Tio Patinhas para o filho, desconhecida por ele e que o fez chorar (alguém imaginaria, antes, uma cena como essa protagonizada pelo velho avarento?).

Muitos adjetivos podem ser usados para definir a história: linda, emocionante, triste, densa, ousada e até polêmica. Mas tocante parece ser a palavra que melhor resume essa HQ.

A capa de Donald Duck #9 tem ainda uma particularidade: uma mensagem secreta gravada no papel que Tio Patinhas carrega nas mãos. Don Rosa ofereceu um desenho exclusivo para o primeiro leitor (de qualquer parte do mundo) que a decifrasse. O prêmio foi para um norueguês.

Uma carta de casa foi publicada no Brasil pela primeira vez em Tio Patinhas #472 (Editora Abril, novembro de 2004), depois no terceiro volume de A Saga do Tio Patinhas (2007) e em Mega Disney # 1 (2012).

Uma carta de casa

• Outros artigos escritos por

.

  • Gabriel Vinicius

    Foi um tremendo vacilo da Abril não colocar essa história no capa dura da Saga do Tio Patinhas.

    • Vision

      Concordo plenamente, teria tornado a edição brilhante.

      • Adriano DeSouza

        Agora eles podem colocar na nova edição e fazer todo mundo comprar de novo.:P

        • lucas

          O engraçado é que colocaram essa história nas primeiras publicações da saga(quando lançaram em 3 volumes).

        • Vision

          e vamos comprar, porque somos vermes!

    • Allisson Ramon

      Concordo totalmente. Tive que ler essa história online por ela não estar no encadernado e não ser tão fácil de achar.

  • Allisson Ramon

    É provável. Você também acha pra ler online se quiser.

  • Ricardo

    Bah mas que piada isso… como não colocaram na edição capa dura?

  • Gabriel

    em qual site eu acho para ler online?