Mary Jane: os 50 anos da ruiva mais desejada da Marvel

Por Marcus Ramone
Data: 15 abril, 2015

A eterna musa dos quadrinhos da “Casa das Ideias” completa cinco décadas de vida em plena forma – em todos os sentidos.

 

Nem parece que se passou tanto tempo. Afinal, aquela linda ruiva de corpo escultural, que apareceu pela primeira vez nos quadrinhos em Amazing Spider-Man # 25 (abril de 1965, mas com a capa registrando o mês de junho), sem mostrar o rosto, completou 50 anos e continua despertando suspiros e desejos impublicáveis nos fãs dos gibis da Marvel.

Mary Jane Watson nasceu para ser uma mera coadjuvante de Peter Parker, o alter ego do Homem-Aranha, e apimentar a novela dos interesses amorosos do herói. Foi citada nas aventuras do personagem – em Amazing Spider-Man # 15 (1964) – ainda antes de aparecer com todo o charme diante de seu estupefato futuro marido.

Desde então, a espevitada e “baladeira” jovem partiu da função de contraponto do perfil tímido e reservado do protagonista das histórias de que participava, para ser uma mulher forte, decidida e independente, que enfrentava seus problemas sem perder a elegância e a exuberância que sempre a caracterizaram.

Um namoro conturbado, cheio de idas e vindas, com Peter Parker – até revelar que sabia o segredo da identidade secreta dele – resultou no casamento (em Amazing Spider-Man Annual # 21, de 1987) que os fãs amaram e alguns editores e roteiristas da “Casa das Ideias” odiaram.

Primeira aparição da Mary Jane, em Amazing Spider-Man # 42Primeira aparição da Mary Jane, em Amazing Spider-Man # 42

Ela virou mãe de uma menina que morreu ainda como um feto (mas que cresceu em outra realidade, tornando-se a super-heroína Garota-Aranha) e sofreu as agruras de um casamento que minava seu espírito livre, não lhe proporcionava tranquilidade financeira e ainda a entregou à estressante rotina de esperar que seu marido retornasse com vida do “trabalho” noturno.

Em um momento de fraqueza, traiu Peter Parker com um figurão endinheirado que a prometera fama e fortuna na carreira de modelo e atriz – profissões que ela sempre exercera, em menor ou maior grau de dedicação. Dizem os boatos de bastidores que essa foi uma das primeiras tentativas de fazer os leitores antipatizarem com a ruiva e deixar o caminho mais tranquilo para a separação do casal, já que esse casamento se tornou um entrave para os roteiristas.

Um desaparecimento e uma suposta morte da personagem já foram usados como artifícios para dar um “descanso” ao Homem-Aranha e deixá-lo um pouco mais livre das amarras que o casamento conferia às suas HQs.

E tudo isso aconteceu na vida de Mary Jane sem que nada a fizesse perder o amor pelo – e do – marido e a admiração de seus milhares de leitores.

Mary Jane, capa da revista MaximMary Jane

Uma mulher estonteante

Criada por Stan Lee e Steve Ditko, foi pelas mãos do desenhista John Romita que Mary Jane ganhou os traços estonteantes que mexeram com a cabeça de Peter Paker e dos leitores da Marvel.

Isso porque somente em 1966, em Amazing Spider-Man # 42, ela finalmente mostrou seu rosto – e um esbelto corpo – nos gibis, quando Romita já havia assumido as artes da revista.

Essa edição se tornou icônica graças à bela ruiva. Sua aparição no último quadrinho é até hoje lembrada com uma das mais impactantes da história da editora. E a frase “Encare os fatos, Gatão… Você tirou a sorte grande!”, dita por ela nesse quadro, tornou-se clássica, marcando o início do sucesso que MJ alcançou em pouco tempo e que parece não ter prazo para acabar.

A partir dali, ela foi cada vez mais ganhando a atenção dos roteiristas e a torcida dos fãs para continuar fazendo parte da vida do Homem-Aranha.  Mesmo as ocasionais saídas de cena por meses (ou anos) não foram suficientes para lançá-la no limbo. Nem mesmo os relacionamentos de Peter Parker com outras mulheres nesses períodos – incluindo o longo namoro com a Gata Negra, outra irresistível mulher aprovada pelos leitores –  foram suficientes para afastá-la de quem os deuses dos quadrinhos a queriam unir para sempre.

Mary JaneMary Jane

Casamento perfeito

Foi durante o casamento que MJ ganhou o merecido destaque como uma importante personagem. Esteve presente, como objeto das tramas ou componente de luxo, em vários arcos e sagas do Homem-Aranha, para o bem ou para o mal dele. A dor e o alívio; a alegria e a tristeza; o esteio e a falta de alicerce que acabaram criando uma dependência da presença do casal para o desenvolvimento das aventuras do escalador de paredes.

E é por isso que, depois do famigerado pacto do Homem-Aranha com Mefisto, em que a divindade infernal apagou da história todos os eventos ocorridos na vida do herói aracnídeo nos cinco anos anteriores, Mary Jane e Peter Parker não estão mais casados e muito menos chegaram a trocar alianças no altar de uma igreja. Os editores finalmente conseguiram o que queriam.

Um alento para os admiradores desse (im)perfeito casal é a edição especial Amazing Spider-Man: Renew Your Vows, que será lançada nos Estados Unidos no próximo mês de junho. A HQ se passa em uma realidade paralela e trará de volta não apenas Mary Jane e Peter Parker como marido e mulher, mas também a filha ao convívio do casal.

Como a edição fará parte do megaevento Guerras Secretas, que promoverá um reboot na cronologia da Marvel, não custa sonhar que tudo voltará a ser como antes.

Marcus Ramone acha engraçado que o público masculino, incluindo ele próprio, não queira ver Mary Jane solteira e desimpedida.

Homem-Aranha # 100, da Editora Abril

• Outros artigos escritos por

.

  • ɯɐıl ʞɹɐʇs

    Ela sempre foi a Gostosona!!!

  • Rafael Santos

    gostaria de saber em que HQ a Mary Jane traiu o Aranha!