Comic Con Experience é divisor de águas em eventos do gênero no Brasil

Por Samir Naliato
Data: 8 dezembro, 2014

UHQCCXP2014

O que mais se ouvia dentro do Centro de Convenções Imigrantes – agora rebatizado de São Paulo Expo Exhibition & Convention Center –, era a surpresa com o tamanho e a apresentação da Comic Con Experience. E não era para menos: a promessa de fazer um evento nos moldes das comic cons norte-americanas se cumpriu integralmente, e serve como um divisor de águas em convenções do gênero no Brasil.

Juntando quadrinhos, filmes, TV, colecionáveis, games, RPG e outros assuntos da cultura pop, agradou em cheio tanto aos fãs quanto aos expositores e provou o que muitos do meio sabiam ser possível, mas poucos de fora pareciam acreditar: existe, sim, um público imenso e, até então, carente para esse tipo de produto.

Tudo estava muito bem organizado e distribuído dentro de um espaço de 39 mil m². Imponentes estandes chamavam a atenção dentro do espaço principal, enquanto três auditórios serviam para painéis temáticos com a presença de convidados especiais. O Auditório Thunder era o maior deles, com um telão que fazia projeção em 4k e dois mil lugares disponíveis. Os outros dois eram menores, o Ultra (400 lugares), onde aconteceram palestras e os workshops do Master Classes; e Business (200 lugares), reservado para discussões voltadas para a área de negócios.

Ao todo, foram 70 expositores, 218 quadrinhistas nacionais e internacionais (mais do que a San Diego Comic Con deste ano) e incontáveis lançamentos.

Comic Con ExperienceComic Con Experience

Havia ainda uma ampla área de alimentação, com diversas opções, e um guarda-volumes, ideal para aqueles que gastaram mais do que o esperado.

Mas nem todo esse espaço impediu a formação de filas enormes, por causa da presença maciça do público, especialmente no sábado, dia de maior movimento. Mas o contato próximo entre fã e artista, seja nacional ou internacional, mantinha a empolgação. Além do fato de as filas serem comuns em qualquer evento do gênero.

No espaço Go4Gold, houve competições de jogos, enquanto o estande da Editora JBC abrigou as etapas seletivas do C3PO – Comic Con Costume and Play Order, concurso de cosplayers, cuja grande final ocorreu no Auditório Thunder.

Aliás, este foi o auditório que reuniu os painéis mais aguardados. Édgar Vivar, o Seu Barriga, de Chaves, com uma emocionante homenagem a Roberto Bolaños, incluindo um vídeo inédito com cenas dos bastidores do programa filmados com uma câmera Super 8 que ele tinha na época.

Passaram por lá ainda artistas como Sean Austin, falando de sua carreira e a experiência em filmes como Goonies e O Senhor dos Anéis; e Jason Momoa, que quebrou protocolos ao ir pessoalmente até o público para responder as perguntas.

.

A área de quadrinhos teve muito destaque. Os painéis da DC destacaram Vampiro Americano, os 75 anos do Batman e reuniram diferentes gerações de autores da editora, como Scott Snyder, Rafael Albuquerque, Rafael Grampá, José Luiz García-Lopez, Klaus Janson, Sean Murphy, Ivan Reis e Dave Johnson.

Já o da Marvel teve as presenças de Olivier Coipel, Amilcar Pina, Marcio Takara, Gustavo Duarte e Marcelo Maiolo. Eles falaram sobre seus trabalhos para a editora.

Pelo lado dos estúdios, houve as pré-estreias de Operação Big Hero (Disney) e O Hobbit – A Batalha dos Cinco Exércitos (Warner Bros.). Filas gigantescas se formaram antes mesmo do centro de exposições ser aberto. Algumas pessoas dormiram na área exterior do evento para não perder as exibições.

Warner Bros., Marvel Studios, Paramount e 20th Century Fox fizeram apresentações especiais de seus próximos lançamentos. Em Avante Vingadores! – A Era de Ultron está sobre nós, foram apresentados vídeos do filme e um recado do diretor Joss Whedon. Mas sem conteúdo novo.

.

O mesmo ocorreu com a Warner, que mostrou trailers e uma prévia inédita de cinco minutos de Mad Max – Estrada de Fúria, mas nenhuma novidade de Batman v Superman – Dawn of Justice. Entretanto, prometeram trazer destaques sobre o assunto no próximo ano.

A Paramount, por sua vez, exibiu um recado de Arnold Schwarzenegger e passou o trailer do novo Exterminador do Futuro, que naquele instante era inédito e, pouco depois, foi divulgado também na internet.

Durante todo o espaço principal, várias sessões de autógrafos aconteciam, seja em estandes, no Artist’s Alley (Beco dos artistas) ou em ações oficiais programados pelo evento.  No final, artistas e expositores estavam muito satisfeitos com o alto número de produtos comercializados.

Público na Comic Con Experience José Luiz García-Lopez

Balanço

Após o encerramento do quarto e último dia da convenção, o Universo HQ conversou com Ivan Costa, sócio da Chiaroscuro Studios e um dos organizadores da Comic Con Experience. Ele fez um primeiro balanço do evento e destacou o trabalho para que tudo corresse como o planejado.

“O melhor de tudo foi ver a participação do público. As pessoas compareceram e gostaram do que viram”, disse. Ainda de acordo com Ivan, todos ficaram muito satisfeitos, incluindo os expositores, agentes e artistas, que ficaram impressionados com o carinho dos fãs e elogiaram a realização do evento.

“Os agentes disseram que não esperavam algo tão grande, e que nunca foram tão bem tratados. Eles contaram que só duas comic cons no mundo possuem estande da Warner Bros.: a de San Diego e agora a nossa”, revelou.

O projeto para realizar a CCXP, com todos os envolvidos, começou há aproximadamente dois anos. De lá para cá, muita coisa mudou. “Queríamos fazer algo bom e grande, mas jamais imaginamos que seria tão grande. Mudou muito desde as primeiras reuniões. A princípio, pensávamos em algo em torno de 14 mil m², mas terminou com 39 mil²”, analisou. “Ainda não temos os números finais, pois a quantidade de visitantes não vem só da bilheteria, mas só no sábado tivemos algo entre 30 ou 35 mil pessoas”.

Os dados finais ainda não foram informados, mas a estimativa é de mais de 80 mil pessoas durante os quatro dias.

A segunda edição da Comic Con Experience já foi confirmada: acontecerá de 3 a 6 de dezembro de 2015, e entrou para o calendário oficial de eventos da Prefeitura de São Paulo. E os planos para ela já começaram.

“Falando da parte de quadrinhos, temos bastante coisa adiantada. Contatos com autores que não puderam vir neste ano por causa de agenda já estão sendo feitos. Basicamente, já temos um line-up de autores definidos para 2015”, informou Ivan.

“Nosso objetivo é mostrar para o público e para as empresas que temos condições de ter um mercado profissional de cultura pop. Sempre fomos fãs dos eventos similares de outros países e queríamos que o Brasil tivesse a sua comic con. Conseguimos. O evento foi um sucesso”, afirmou Pierre Mantovani, sócio da CCXP durante a cerimônia de encerramento no auditório principal.

De acordo com a organização, a CCXP já estreou quebrando recordes: é o evento realizado no Brasil que mais atraiu público em sua primeira edição.

Encerramento da CCXP 2014Encerramento da CCXP 2014

• Outros artigos escritos por

.

.

.