Confira a lista completa da coleção DC Sagas Definitivas, da Eaglemoss

Por Samir Naliato
Data: 20 setembro, 2018

Em maio, noticiamos que a Eaglemoss lançaria uma nova coleção da DC Comics, desta vez focada em grandes sagas da editora.

Batizada de DC Coleção de Graphic Novels – Sagas Definitivas, ela passou por algumas ajustes desde então, com mudanças de conteúdo e um total de 11 volumes. A assinatura pode ser feita diretamente no site da editora, e as edições avulsas também estão disponíveis para venda na Amazon Brasil.

Confira a lista completa abaixo e clique nos respectivos links e imagens para as edições já lançadas:

Volume 1 – Crise nas Infintas Terras, por Marv Wolfman e George Pérez.

O Mulltiverso está sitiado por uma misteriosa força, poderosa o suficiente para erradicar as vidas de bilhões de seres. Um a um, mundos paralelos estão desaparecendo numa onda de antimatéria. Os heróis das Terras 1 e 2 são reunidos para lutar por sua própria existência. Mundos viverão. Mundos morrerão. O universo nunca mais será o mesmo.

Crise nas Infintas Terras

Volume 2 – Crise Infinita, por Geoff Johns e Phil Jimenez.

É o dia mais sombrio do Universo DC. Os robôs OMAC estão causando destruição, a magia está morrendo, vilões estão seunindo e uma guerra é travada no espaço. Em meio a tudo isso, os três maiores heróis da Terra – Superman, Batman e Mulher-Maravilha – permanecem divididos. No entanto, heróis do passado há muito perdidos voltaram para endireitar as coisas no universo. A qualquer preço.

Crise Infinita

Volume 3 – Crise Final, por Grant Morrison e J. G. Jones .

Da aurora do homem até os dias de hoje e ao longínquo futuro, a história da humanidade sempre foi uma narrativa de lutas e conflitos. Agora, esse duelo eterno entrou num novo estágio: homem versus deus. Vida contra antivida. Nem homens de aço nem cavaleiros das trevas podem escapar da sombra que avança para extinguir a chama humana para sempre, no fim de todas as histórias.

À medida que a Crise Final que estilhaça o universo afeta o mais poderoso dos heróis, Superman se torna um peão de forças ultradimensionais numa batalha para salvar a mulher que ama, um profeta louco ganha poderes cósmicos e uma missão mortal, e a Liga da Justiça presta uma homenagem a um companheiro tombado.

Crise Final

Volume 4 – Crise de Identidade, por Brad Meltzer e Rags Morales.

Quando uma das pessoas mais próximas da liga da justiça é assassinada em sua própria casa, a comunidade super-heroica fica arrasada. Cada herói da terra se sente abalado. Eles se unem no luto, mantêm seus entes queridos ainda mais próximos e imediatamente dão início a uma caçada ao redor do mundo para encontrar o assassino. No entanto, um pequeno grupo de heróis acha que já sabe a identidade do responsável.

Anos atrás, para proteger a vítima e outros como ela dos supervilões, Arqueiro Verde, Gavião Negro, Canário Negro, Átomo e Zatanna romperam um limite. Agora, segredos há muito enterrados ameaçam romper a coesão da comunidade heroica.

Crise de Identidade

Volume 5 – Universo DC: Legados, por Len Wein, Joe Kubert, Andy Kubert, Bill Sienkiewicz, Brian Bolland, Dan Jurgens, Dave Gibbons, Gary Frank, George Pérez, J. G. Jones, J. H. Williams III, Jerry Ordway, José Luis García-López e outros.

A história do Universo DC é contada da aurora dos Homens Misterioso, antes da 2ª Guerra Mundial, até os dias atuais, transpondo cinco gerações. Vista pelos olhos do admirador de super-heróis Paul Lincoln, este volume segue a icônica história da DC Comics pelas eras de Ouro, Prata, Bronze e Moderna, apresentando heróis como Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde e muitos outros.

Universo DC: Legados

Volume 6 – DC Um Milhão: Parte 1, por Grant Morrison e Val Semeiks.

Volume 7 – DC Um Milhão: Parte 2, por Grant Morrison e Val Semeiks.

No Século 853, um milhão de anos após a publicação de Action Comics # 1 (1938), a Terra permanece protegida graças aos heróis da Liga da Justiça do futuro. Os descendentes de Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Flash e outros permanecem unidos no combato contra as forças do mal. Mas, talvez, jamais tenham encontrado algo tão mortal quando o supercomputador senciente Solaris, o Sol Tirano. Quando essa ameaça se torna grande demais, os heróis do futuro procuram do único grupo que pode ajudar: a Liga da Justiça original.

DC Um Milhão

Volume 8 – Thy Kingdom Come: Parte 1, por Geoff Johns e Dale Eaglesham.

Volume 9 – Thy Kingdom Come: Parte 2, por Geoff Johns e Dale Eaglesham.

Dê as boas-vindas para o novo membro da Sociedade da Justiça: o Superman de O Reino do Amanhã. Vindo de uma Terra na qual os heróis tomam medidas extremas, como este Homem de Aço reagirá a uma encarnação da Sociedade da Justiça que ele nunca conheceu? E como ele guiará e inspirará uma nova geração de heróis numa batalha contra a deidade conhecida como Gog?

Thy Kingdom Come

Volume 10 – Solo: Parte 1, por vários artistas.

Volume 11 – Solo: Parte 2, por vários artistas.

Originalmente publicada em 2014, a série em 12 partes Solo deu a alguns dos maiores autores a chance de criar histórias no Universo DC e além, com personagens como Batman, Robin, Superman, Espectro, Novos Titãs e outros. Inclui ainda histórias de faroeste, guerra, ficção científica, humor, e terror, além de contos introspectivos sobre a vida dos autores. Cada edição apresenta um artista, incluindo Mike Allred, Richard Corben, Sergio Aragonés, Howard Chaykin, Tim Sale, Paul Pope, Darwyn Cooke e muitos outros.

Solo

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Mercenario .

    Crise infinita,Crise final, Crise de Identidade… é muita Crise, mané

    • ninguém

      Vai por mim, a pior é a Crise brasileira.

  • Fernando Amaral

    Cada volume por 140 reais. O original do Identity Crisis na Amazon, por exemplo, sai por 70. Sem mais.

    • Edimario Duplat

      140 é muito caro mesmo. Só queria saber o que tem dentro desse encadernado da Eaglemoss, pois apenas as sete edições da série dava pra sair em um TP da coleção normal. Acredito que tenha as histórias que complementam a saga, como Flash e Novos Titãs.

  • Leandro Machado

    Não vai ter mais Invasão??

    • Gabriel Fern

      Acabou de sair pela Panini, talvez tenham sido “obrigados” a retirar da lista.

    • Fernando Amaral

      Invasão, Lendas e até Milênio seria muito melhor do que dois volumes de 1 milhão, que na minha opinião é um besteirol.

      • Cassiano Cordeiro Alves

        Das três, Lendas já foi republicada duas vezes, e Invasão a poucos meses. Milênio talvez dependa muito dos tie ins.

  • FINASTERIDO

    A única crise realmente interessante, pelo contexto, pela arte e parte do argumento, é a CRISE NAS INFINITAS TERRAS. As outras são simplesmente dispensáveis, e isso fica bem claro se você notar que não deram em nada. Já a primeira gerou desdobramentos inesquecíveis como o Homem de aço de byrne, a Mulher Maravilha de Perez, o Batman de Frank Miller etc. Acabei de compra-la na AMAZON, há poucos dias, na verdade. Por 80 reais.

    • Leandro Silva

      Ah! não fala assim, não, Finasterido! Sou fã ferrenho da CNIT, é minha obra de hq preferida (foi meu primeiro quadrinho de heróis que eu li na vida, isso há 30 anos atrás e que me tornou o colecionador que sou hoje), então não falo isso como detrator. Mas vc mensurar que “Crise de Identidade” não vale a pena, vc tá pegando pesado, heim!!!
      Bem, gosto não se discute, é claro, mas a única dispensável que eu totalmente concordo com vc é a “Crise Final”, obra máxima supervalorizada desse autor e que pra mim deveria ser abolida do catálogo da DC Comics (pode me tacar pedras, Felipe Morcelli, mas é isso aí mesmo! rsrsrs), mas o restante dessa lista é super valido; o pecado aí é o valor de cada material, que chega a ser ofensivo.

      • FINASTERIDO

        kkkkk desculpa!!! Crise de Identidade é fantástica. Me referi as crises que ‘remodelam’ universos, e têm toda essa pretensão idiota de reinventar os universos, para alguns anos depois acabar com tudo. Crise de Identidade é algo intimista, explora situações e nuances dos personagens de uma maneira única. VALE MUITO A PENA. Quem nunca leu, leia e guarde!
        Crise final é vomitável!!!

        • Leandro Silva

          Concordo contigo em gênero, número e grau! Não poderia falar melhor. E nesses tantos anos lendo quadrinhos (principalmente da DC), pegando Crises, Invasões, Milênios, esse tipo de coisa, vou te falar que hoje, hoje eu valorizo muito mais um bom encadernado com começo, meio e fim, uma história mais contida sem nenhuma pretensão, só mostrando o herói sendo herói mesmo! Esse negócio de Reboota e depois retorna já deu o que tinha que dar. Agora, sou muito mais os roteiros mais contidos. Nem esse novo DC “Rebirth” não vingou muito, estando tudo voltando ao que era antes (de novo).
          Quanto ao vale a pena, vou te falar: se o sujeito tiver sobrando R$ 140,00, até que “Crise de Identidade” merece um tamanho investimento; mas sinceramente, tirando “Sandman”, ou aqueles calhamaços que estão saindo do Justiceiro ou mesmo do Demolidor, valem – um quadrinho com meros 7 edições não creio que valha tanto assim, creio que dá para esperar a Panini lançar alguma coisa que com certeza vai sair mais barato e eles irão acabar lançando mesmo, pois sempre fazem isso (usam a Eaglemoss e a Salvat como termômetro para fazer suas escolhas editoriais – vide “SJA – A Era de Ouro” de James Robinson, que será lançado nessa expansão da Eaglemoss e a Panini espertamente foi lá e lançou antes, mas antes do anúncio da expansão, eles nunca nem falavam em relançar essa ótima história!)

          • FINASTERIDO

            PERFEITO. De fato, esss megas sagas ha muito são insuportáveis e há anos deixei de acompanhar isso.

  • Marquito Maia

    Quer dizer que agora SOLO virou saga? Então tá…

    • VAM!

      Ficou com cara de tapa-buraco não, Marquito?
      Pois em proposta tem mais afinidade com a coleção regular da DC.
      Abs,
      VAM!

  • Leandro Silva

    Uma pena. Para um colecionador modesto essa coleção é impossível. Se a coleção normal da Eaglemoss já está impraticável, imagina essa daqui!!! E vai sair tanta coisa boa, que realmente dá um aperto no coração (gente, só essa segunda parte do “Reino do Amanhã” quando Geoff Johns estava a cargo da ótima Sociedade da Justiça da América, ou mesmo “DC Um Milhão” ou ainda “Solo” já matam a pau, e à muito mereciam uma republicação ou mesmo publicação por aqui, mas infelizmente está nos sendo oferecidas nessas condições iReais($). Impossível. Só mesmo vendendo um rim.

  • 0-Drix

    Para esta coleção ficar completa, deveriam incluir os volumes de “Crises nas Múltiplas Terras”, com os encontros entre a LJA e a SJA nos anos 1960 e 1970.

  • VAM!

    “Solo” é um sonho antigo. Quando disponíveis no site, para compra individual penso se serão viáveis, Assinatura total, nem pensar.
    Abs,
    VAM!

  • Leandro Silva

    Olá, Cícero! Bacana ver mais um futuro apreciador do fabuloso universo DC, e ver vc interessado em fazer tudo certinho para não se confundir (coisa que já vou dizendo pra vc: nos quadrinhos isso é impossível, ok! pois tudo muda muito rápido, heróis tem suas origens contadas e recontadas o tempo todo, sagas vem e vão numa facilidade absurda – de acordo com o sucesso de suas vendagens, diga-se de passagem! rsrsrsrs)
    Mas, eu não poderia ter respondido melhor ao que o Enoch já te respondeu, e é por aí mesmo. E vou mais além: leia sem muita preocupação em atrelar uma saga a outra, leia tudo como se cada uma fosse uma história totalmente única, daí a diversão será ainda melhor, sem muitas preocupações, entende? E digo isso para todas essas obras mesmo, menos a sitada “Crise Infinita” que é diretamente ligada a saga “Crise nas Infinitas Terras”, que para efeito de curiosidade sua e de muitos outros por aí, é a mãe de todas as sagas que existem hoje, e que inclusive sua concepção e criação é até anterior à primeira saga da Marvel, a “Guerras Secretas”, mas não em seu lançamento, já que a da Marvel foi lançada bem antes ;)
    Mas a cronologia na DC é totalmente essa mesmo que ele descreveu (com louvor) para vc. E só complementando o que o Enoch comentou, a saga “Convergência” e até legalzinha de se ler, mais pelas pequenas histórias ligadas a ela de cada personagem, mas é só legalzinha, pois foi feita meio que a toque de caixa só para a DC não passar em branco, sendo que a editora estava mudando de endereço na época, e tbm pelo motivo, se não me falha a memória, que a concorrente Marvel estava lançando no mesmo período a nova saga de “Guerras Secretas”, que, mesmo eu sendo muito DCnauta, acho essa extremamente superior e vale muito mais a pena do que “Convergência”. Então, nem se incomode de gastar seu precioso dinheiro com ela, tem coisas melhores.
    No mais, te desejo sorte nesse seu novo objetivo de se aventurar e desbravar esse universo tão rico que é o da DC Comics.

    • Cícero

      Valeu, obrigado mesmo pelas informações.

  • Cícero

    Valeu, obrigado pelas dicas…

    • Edimario Duplat

      o que mata Crise Infinita para republicação em encadernados é que ela é uma saga iniciada em quatro minisséries distintas: Guerra Rann-Thanagar, Vilões Unidos, Projeto Omac e Dia de Vingança. Sem elas, muita coisa dentro de Crise fica mal explicada. No mais, gosto da saga… acho ela uma boa homenagem de aniversário para a Crise Original. O problema é o que a DC faz depois dela e da mini 52.

      • Cícero

        Beleza…