Morreu o desenhista Albert Uderzo, um dos criadores de Asterix

Por Sérgio Codespoti
Data: 24 março, 2020

Faleceu hoje, 24 de março de 2020, o desenhista francês Albert Uderzo, um dos criadores de Asterix, ao lado de René Goscinny (1926-1977). Ele tinha 92 anos e foi vítima de um ataque cardíaco, sem nenhum vínculo com o coronavírus. Estava em casa, em Neully-sur-Siene, cercado por familiares.

O anúncio da morte foi feito pela família. Segundo seu genro, Bernard de Choisy, ele estava muito cansado havia semanas. A notícia foi confirmada por Aymar du Chatenet, presidente do Instituto René Goscinny.

Albert Aleandro Uderzo nasceu no dia 25 de abril de 1927, em Fismes. Veio ao mundo com seis dedos em cada mão, e precisou de cirurgia para corrigir o problema. Ele também tinha daltonismo, e não conseguia distinguir o verde do vermelho. Um problema que perdurou por toda a sua vida. Uma curiosidade: por ser filho de imigrantes italianos, Uderzo só foi naturalizado como francês, em 1934.

Descobriu os quadrinhos lendo Les Pieds Nickelés, da Société parisienne d’édition; Mickey Mouse, no jornal Le Petit Parisien. Em 1941, publicou seu primeiro desenho, uma sátira de O Corvo e a Raposa, das Fábulas de Esopo, no suplemento Boum, do semanário Junior.

Albert Uderzo

Em 1941, fugindo do Serviço de Trabalho Obrigatório – com o qual milhares de trabalhadores e jovens franceses tiveram que colaborar com o esforço de guerra nazista, durante a ocupação da França pelo exército da Alemanha –, Uderzo se refugiu em Les Villages, na região de Côtes-du-Nord, na Bretanha francesa.

Após a liberação da França, Uderzo, munido de um acordeão se junta a dois músicos italianos (um baterista e um guitarrista) e passa a tocar em festas e eventos para ganhar dinheiro.

Depois da guerra, cria e publica diversos heróis como: Clopinard (1945); Arys Buck (1946); Flamberge, com Em-Ré-Vil, pseudônimo de Marcel Reville (1946); Le Prince Rollin (1947); e Belloy, o Invulnerável (1948); e Watoki, o valoroso (1949).

Outros personagens criados por Uderzo, em histórias curtas, são: Les Aventures de Jacky, Clodo et son oie e Zidor Chasseur. Essas HQs foram publicadas entre 1946 e 1947, no jornal La Démocratie, da cidade de Toulouse.

Zidor voltaria transformado em Zidore, o homem macaco, uma paródia de Tarzan, numa revista da S.A.E.T.L.

Uderzo também trabalhou para os jornais France-Dimanche e France-Soir.

Watoki

Trabalhando para a Paris Graphic, o autor teve uma breve participação no mundo dos super-heróis, desenhando, em 1950, Super Atomic Z, publicado na revista 34 Aventures of Éditions Vaillant e Capitaine Marvel Jr.

Este último se baseia no personagem Capitão Marvel Jr., da Família Marvel, uma criação de C.C. Beck. A HQ foi pedida pelo grupo Le Soir para a revista de quadrinhos Bravo!, publicada na Bélgica e na Holanda. A curiosidade é que Uderzo nunca leu as aventuras da Família Marvel, e o seu material era sobre um super-herói fortão.

Albert Uderzo ainda escreveu e desenhou aventuras históricas sobre Maria Antoniette; Valérie André, herói da resistência francesa.

Em 1951, Uderzo e Goscinny iniciam uma colaboração que duraria 26 anos. Juntos, criam Jehan Pistolet e Benjamin et Benjamine, ambos em 1952; Luc Junior, em 1954; e Oumpah Pah (no Brasil, Umpa-Pá), em 1958.

Asterix surgiu em 29 de outubro de 1959, na estreia da revista Pilote. Foi um sucesso estrondoso. Seu primeiro álbum foi lançado em 1961. A série está no seu 38º álbum e já teve mais de 375 milhões de exemplares vendidos no mundo.

Apesar de não ser o principal nome da série, Uderzo sempre deixou claro que Obelix era seu personagem favorito.

Asterix

Tanguy et Laverdure, escrito por Jean-Michel Charlier, também foi criado em 1959. A série surgiu como rival de Buck Dany, da revista Spirou. Marcel Uderzo, irmão de Albert, fez parte das cores da primeira HQ.

O sucesso internacional de Asterix e Obelix catapultou Goscinny e Uderzo a outro patamar.

Em 29 de março de 1977, Goscinny rompeu o contrato com a editora Dargaud, durante a produção do álbum Asterix entre os Belgas, depois descobrir que a editora estava lesando os autores. Foi um processo conturbado.

Após a morte de Goscinny, em 5 de novembro de 1977 – ele teve uma crise cardíaca na bicicleta ergométrica de seu médico e acabou falecendo mesmo após ser transportado para uma clínica –, Uderzo foi forçado pela Dargaud a completar o álbum, ou teria que pagar dez milhões de francos.

Depois disso, Uderzo criou a editora Albert-René e passou a publicar as aventuras de Asterix. Ele mesmo escrevia e desenhava.

No ano de 1953, Uderzo casou-se com Ada Milani. O casal teve uma filha, Sylvie Uderzo, em 1956.

Nos últimos anos, Uderzo e sua filha tiveram várias disputas legais em relação aos rumos da editora e o futuro de Asterix e Obelix.

Uderzo foi um dos maiores desenhistas de HQ do mundo. Seu traço, muito característico e expressivo, é capaz de encantar e fazer rir com muita facilidade. Praticamente um herói francês, ele deixou uma legião de fãs que continuarão para sempre encantados com suas artes.

Ouça o podcast Confins do Universo 090 – Por Tutatis, Asterix!, no qual falamos sobre Goscinny, Uderzo e Asterix.

.

Goscinny e Uderzo

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Marquito Maia

    Que descanse em paz!! Me diverti muito com Asterix e Umpa-pá!!

  • Stefano Barbosa

    Ele pecou em querer ser roteirista… Acabou fazendo história de menor qualidade…

    a ponto de ofender os japoneses….