Netflix fecha acordo com Extreme Studios, de Rob Liefeld

Por Samir Naliato
Data: 14 março, 2018

Após adquirir a Millarworld, a Netflix fechou acordo com outro conhecido autor de quadrinhos e comprou os direitos de adaptação das obras do estúdio Extreme, criado por Rob Liefeld.

O produtor e roteirista Akiva Goldsman – de filmes como O Código DaVinci, Eu sou a Lenda, Transformers – O último Cavaleiro e A Torre Negra – comandará uma equipe para criar histórias baseadas no universo criado por Liefeld.

“O Universo Extreme apresenta histórias sombrias e personagens diferenciados. A voz criativa de Akiva está por trás de algumas das maiores franquias do cinema, o que faz totalmente capaz de dar vida a esses super-heróis na Netflix“, afirmou Scott Stuber, chefe da divisão de filmes do serviço de streaming.

Rob Liefeld é também o criador de Deadpool, cujo filme foi um grande sucesso. Em 1992, ele fundou a Image Comics ao lado de outros quadrinhistas, e levou suas criações para a nova empreitada. Dentre elas estavam Bloodstrike, Brigada, Youngblood, Glory, Supremo e outras.

Youngblood, entretanto, não faz parte do acordo neste início, uma vez que existe um projeto de filme com a equipe pela Paramount Pictures.

Além das séries Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage, Punho de Ferro e Os Defensores – todos estes da Marvel –, a Netflix também tem produzido outros programas baseados em quadrinhos, como Death Note, The End of the F***ing World, Umbrella Academy e, como mencionado anteriormente, a própria Millarworld.

Extreme Studios

 

 

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Cassiano Cordeiro Alves

    Se projetos com o Millarworld já são arriscados, o que dizer disso? Acho que alguém deveria informar melhor a Netflix sobre o que exatamente foi adquirido. Se a empresa conseguir algum produto de qualidade adaptando o universo do Mestre então seus profissionais são mais do que competentes: são mágicos!

  • marcelo miranda

    Santo Kirby, Netflix, que péssimo negócio esse.

  • Manoel Jr

    Será que alguém um dia sonhou em ver animações de Youngblood, Brigada e outras picaretagens do Liefeld?

    • Marquito Maia

      Os fãs do Liefeld, talvez?
      Aliás, digamos que o termo picaretagem é um tanto quanto pesado, pelo menos do ponto de vista criativo, afinal não é uma exclusividade do rapaz criar versões genéricas de personagens famosos…
      Ah, e da Sessão Meu Passado Me Condena: lá nos anos 80, confesso que adorava o traço dele em Rapina & Columba, New Mutants e X-Force. Aí, quando o dito-cujo foi largando a mão, obviamente desencanei…

      • Manoel Jr

        O rapaz decaiu muito no que diz respeito ao seu traço com o passar do tempo.

        Pode trocar picaretagem por tosquice se for melhor aceito.

  • Márcio dos Santos

    Tomara que dê certo, apesar dos haters torcerem contra.

  • Alexandre Neves

    A Netflix deveria comprar os direitos da Bonelli italiana, e seus personagens. Tex, Zagor, Júlia, Mágico Vento, etc.

  • ARQUEIRO VESGO

    Será que o “Fighting American” (aquele Capitão América alternativo dos tempos da Guerra Fria criado originalmente por Jack Kirby e Joe Simon) está no pacote??? Da última vez que eu soube do personagem, o Liefeld tinha adquirido os direitos sobre ele.