Tekkon Kinkreet, da Devir, em pré-venda

Por Marcelo Naranjo
Data: 20 abril, 2018

A Devir está lançando mais um mangá: Tekkon Kinkreet (formato 17 x 24 cm, 620 páginas, R$ 94,00), de Taiyo Matsumoto. O álbum traz a história completa, em um único volume, em capa brochura e sobrecapa, e está em pré-venda na Amazon Brasil.

Este material já foi publicado no Brasil pela Conrad em 2001, em três volumes, com o título Preto e Branco.

Numa cidade de “ferro” e “concreto” (significado em japonês de Tekkon Kinkreet), vivem personagens implacáveis e indomáveis.

Kuro (o preto) e Shiro (o branco) são órfãos. Para sobreviver, eles têm de roubar, lutar e se esconder em um mundo sombrio, solitário e corrupto, onde a própria cidade os afaga ou os despreza, como se fosse um ser vivo.

O desenho de Matsumoto, rico em detalhes, traduz fielmente o ambiente de uma trama que pode se tornar angustiante, mas que, ao mesmo tempo, emociona e liberta.

Tekkon Kinkreet foi adaptado para o cinema em um longa-metragem animado que, em 2008, foi escolhido como a Animação do ano pela Academia do Japão, além de vencer nas categorias de Melhor História Original e Melhor Direção de Arte na Tokyo International Anime Fair.

Nos quadrinhos, a obra venceu o Prêmio Eisner de Melhor Edição Internacional – Japão em 2008.

Este é o terceiro título da editora na coleção Tsuru, que reúne autores japoneses clássicos e contemporâneos. Os volumes anteriores foram O Homem que Passeia e NonNonBa.

Tekkon Kinkreet

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Pedro Argentieri de Aguirre

    Espero que o trabalho de revisão esteja melhor que os dois títulos anteriores da Devir, principalmente pelo alto valor.

  • Douglas Coelho

    Esperando aparecer o primeiro caso de divórcio com partilha de coleção de HQ. O juiz estipulando o preço de capa e a defesa alegando que é injusto pois foi adquirido através de desconto no Amazon.

  • Ed Pontes

    Belíssima obra. Mas que capa feia. Espero que a capa interna mesmo melhor, já que essa é a sobrecapa.

  • Márcio dos Santos

    Quanto mais editoras brasileiras publicando mangás, melhor. Espero que algum dia uma editora tenha coragem de publicar alguma obra do mangaka Go Nagai. Absurdo não ter nada dele no Brasil.