Viúva de Hergé é contra álbum inédito do personagem

Por Sérgio Codespoti
Data: 14 maio, 2014

Fanny RodwellNuma entrevista publicada na edição belga da revista Paris Match, Fanny Rodwell, a viúva de Hergé – o criador de Tintim –, se declarou contrária à publicação de um novo álbum do personagem.

Segundo ela, é preciso respeitar os desejos do autor, que não queria que outros álbuns inéditos fossem lançados após a sua morte. Hergé faleceu em 1983.

A declaração é polêmica, porque contraria o discurso de seu atual marido, Nick Rodwell, o administrador da Moulinsart, a empresa que cuida da obra de Hergé. Ele defende a necessidade de proteger o direito autoral da obra, para que não caia tão cedo em domínio público.

Em princípio, um álbum inédito está planejado para o longínquo ano de 2052. Antes disso, a Moulinsart e a Casterman pretendem relançar histórias inacabadas do herói e versões de livros antigos acompanhadas de material teórico inédito.

Fanny Rodwell nasceu em 1934, em Bruxelas, na Bélgica. Seu nome de solteira era Fanny Vlamynck. Ela foi colorista do estúdio de Hergé e se casou com o artista em 1977, quando ele se divorciou de sua primeira mulher, Germaine Kieckens. Em 1993, ela se casou com o inglês Nick Rodwell.

Rodwell é uma figura controversa na França e na Bélgica, e costuma ser criticado pelos fãs e pela imprensa. Ele foi o primeiro a abrir uma loja exclusiva de Tintim, na Inglaterra.

• Outros artigos escritos por

.