Demolidor – Volume 1 – Um novo começo!

Por Audaci Junior
Data: 18 outubro, 2013

Demolidor – Volume 1 - Um novo começo!Editora: Panini Comics – Edição especial

Autores: Mark Waid (roteiro), Paolo Rivera e Marcos Martin (desenhos), Joe Rivera (arte-final), Javier Rodriguez e Muntsa Vicente (cores) – Originalmente em Daredevil # 1 a # 6 (2011).

Preço: R$ 18,90

Número de páginas: 144

Data de lançamento: Junho de 2013

Sinopse

Além de lidar com os que ainda acreditam que o advogado nova-iorquino cego Matt Murdock é o Demolidor, o herói precisa arranjar novos clientes e encarar rivais como o Mancha, o Garra Sônica, o Brutamontes e até o Capitão América.

Positivo/Negativo

A nova fase do Homem sem Medo por Mark Waid – escritor responsável por obras como O Reino do Amanhã – finalmente ganha a sua versão nacional.

Fã do super-herói na sua essência, à moda antiga, o autor resgata o lado bem-humorado do personagem, deixando tudo mais leve, divertido e humanizado.

Depois de traumas, tragédias envolvendo namoradas mortas, colapsos nervosos e todo um lado sombrio, herdado de fases anteriores de escritores como Brian Michael Bendis e Ed Brubaker (sem falar nas antológicas HQs de Frank Miller, nos anos 1970 e 1980), o Demolidor abandona o apelo realístico para reencontrar o lado nobre e puro do heroísmo.

A edição também pode servir de ponto de partida para novos leitores que não conhecem o personagem.

Murdock está de volta a Nova York depois de um período de ausência forçada, e precisa reconstruir sua carreira de advogado, ainda prejudicada pela revelação de sua identidade secreta.

A abordagem lembra bastante a versão mais divertida do personagem, nas mãos de Karl Kesel e Joe Kelly (publicada no Brasil em Marvel 98 e Marvel 99, da Abril).

O Homem sem Medo deixa de ser um sisudo “Batman” para ser um falastrão “Homem-Aranha”. Quem acompanhou o personagem nas abordagens pregressas, com certeza achará estranho ele beijando a noiva com direito a pose para jornal em pleno casamento mafioso.

Até o fiel companheiro do escritório de advocacia Foggy Nelson fica desconfortável e desconfiado com tais mudanças, a ponto de achar que algo está errado com o amigo.

Interessante notar que o escritor pega emprestado vilões da galeria de outros super-heróis, como o Garra Sônica (antagonista do Pantera Negra) e o Mancha (inimigo do Homem-Aranha).

Demolidor também oferece espaço para o drama, a ação e até novas estratégias de advocacia para conseguir clientes, tudo com inteligência e leveza de um título vencedor do Eisner Award de Melhor Série e Melhor Escritor.

Na arte, Paolo Rivera e Marcos Martin alternam sem prejudicar o andamento da narrativa e empregando a leveza que seus belos e estilizados desenhos oferecem. O destaque vai para como Rivera representa o sentido de radar do herói (em especial com o vilão Mancha) e as criativas capas (inicialmente, a do encadernado parece simples, mas melhor analisada traz um admirável uso de onomatopeias).

O volume traz também o começo de uma trama que culminará com o encontro do Homem-Aranha, Justiceiro e o próprio Demolidor, que toma posse do omegadrive, uma espécie de disco rígido feito por moléculas instáveis (criadas por Reed Richards para os uniformes do Quarteto Fantástico) que contém informações sobre as principais organizações criminosas do mundo: a IMA, a Hidra, o Espectro Negro, a Agência Bizantina e o Império Secreto.

Veja uma resenha do encadernado original americano clicando aqui.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.