Homem-Aranha # 2 – Abril – Premium

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 24 março, 2001

Homem-Aranha Premium # 2Editora: Editora Abril – Revista mensal

Autores: Homem-Aranha – Howard Mackie (textos), John Romita Jr., John Byrne (lápis), Raymond Kryssing e Scott Hanna (nanquim);

Mulher-Aranha – John Byrne (texto), Bart Sears (lápis), Randy Elliot e Raymond Kryssing (nanquim);

Wolverine – Joe Pruett (texto), Pascual Alixe (lápis), Koblysh, Ramos, Pepoy, Collazo e Czoy (nanquim);

Thor – Dan Jurgens (textos e lápis), John Buscema (lápis) e Jerry Ordway (nanquim).

Preço: R$ 9,90

Data de lançamento: Setembro de 2000

Sinopse

O Rei do Crime volta a comandar o crime em Nova York. Há apenas um líder de gangue que vai contra a vontade de Fisk, e ele é ninguém menos que Jimmy Seis, filho de Fortunato e amigo de Ben Reilly.

Fisk quer a posse de um misterioso baú que está escondido no cemitério de Cypress Hills (famoso por ser a “casa” de Danny Ketch, o segundo Motoqueiro Fantasma).

O que os capangas do Rei não esperavam encontrar lá era um bando de vampiros tomando conta do baú. Enquanto isso, Peter Parker tem uma viagem marcada com Mary Jane para uma segunda lua-de-mel em uma ilha tropical.

Sortudo como sempre, ele é pego no meio da fuga dos capangas do Rei e se envolve em uma luta ao lado de Blade contra os vampiros. A perseguição leva os heróis ao covil do Devorador, o mesmo vampiro que enfrentara o Aranha e Medula nos túneis dos Morlocks meses atrás.

Blade e o Aranha acabam ficando à mercê do vampiro, mas são salvos por um dos capangas do Rei, que foge com o baú. Obviamente, Peter perde o vôo.

Na segunda história, Peter fotografa uma reunião entre o Rei do Crime e Jimmy Seis, mas é descoberto. O Rei manda Jimmy eliminá-lo como um modo de selar a paz entre suas famílias criminosas, mas este se recusa, devido ao “parentesco” de Parker com Ben Reilly, o que prenuncia que, provavelmente, haverá uma guerra de gangues nos próximos números.

Apesar do esforço do Aranha e de Blade para recuperar o baú, o Rei o abre e dele emerge Morbius, que seria usado por Fisk para acabar com os vampiros sob o comando do Devorador.

Depois de muita briga, os heróis conseguem derrotar os capangas do Rei, e o Cabeça-de-Teia convence o caçador de vampiros a deixar Morbius sob sua custódia.

Paralelamente, Mary Jane decide demonstrar sua raiva com o marido não atendendo seus telefonemas. Peter descobre que Eddie Brock fugiu da prisão e se encaminha para Nova York e recebe uma ameaça de morte da pessoa misteriosa que vive ligando para sua esposa.

Já na aventura da nova Mulher-Aranha, Mattie venceu Charlotte no número anterior, mas herdou desta seus poderes e sua deformação facial.

Além da vitória de Pirro, Mattie ainda teve uma derrota, pois Charllote continuava a controlar os poderes que ela havia roubado. Por isso, a garota é forçada a trabalhar ao lado do Dr. Octopus, mesmo contra a sua vontade.

Jessica Drew, um policial e o Homem-Aranha juntam forças para deter Octopus e Mattie.

Ao mesmo tempo, a Madame Teia confronta Charllote (sua neta) e consegue fazer Mattie voltar a pensar por si mesma. Assim, ela e o Aranha, com um ajuda preciosa da então sem poderes Jessica Drew e do detetive Rodriguez conseguem nocautear Octopus.

Por fim, o rosto de Mattie também volta ao normal, o que a deixa pronta para novas aventuras.

Voltando ao Aranha, o herói salva um homem de um incêndio e descobre que Peter Parker está na lista de um misterioso assassino, que vem eliminando várias pessoas.

Intrigado, Peter vai atrás de Paul Stacy para pedir ajuda. Mal sabe ele que o assassino estava também atrás do Dr. Octopus. O vilão, Capitão Poder, revela ser, na verdade, uma mulher, Christina Carr, que quase foi morta durante o acidente que criara o Dr., na versão Gênese.

O Aranha precisando da ajuda do Dr. para derrotar o novo vilão. Enquanto isso, Mary Jane decide voltar para Nova York para acertar as coisas com seu marido, mas pode ter uma surpresa desagradável ao chegar em casa, pois quem a espera no aeroporto não é Peter, mas sim seu perseguidor misterioso.

Wolverine e Cecília Reyes também estrelam esta edição. Quando um avião cai em Nova York, a Dra. Reyes recebe uma jovem paciente japonês em seu consultório, no momento em que atendia Wolvie. Com base nas informações da criança, ambos partem ao resgate de seu pai e entram em confronto com o Samurai De Prata.

Thor fecha a revista com chave de ouro. O Deus do Trovão enfrenta Réplicus, e depois de cuidar de algumas obrigações de Jake Olson, parte para a Terra dos Trolls, onde Orkival e Marnot contam-no a verdade por trás dos deuses negros que mantém Odin preso e da Queda de Asgard.

Ao que tudo indica, Thor declarará sozinho Guerra a Zelia e a seu servo Perrikus.

Positivo/Negativo

O pior dessa edição é a história de Wolverine. Um popular “tapa-buraco” sem razão de figurar na revista. Textos ruins e uma arte abaixo da crítica, que faz o leitor pensar se é para isso que a Abril deixou de publicar a Garota-Aranha.

As histórias do Aranha, por sua vez, melhoraram um pouco, principalmente pelo mistério envolvendo Mary Jane e seu “admirador secreto”. Destaque para o visual de Blade, totalmente inspirado no filme com Wesley Snipes.

Ainda no Aranha, a história do Capitão Poder é bem fraca, e apenas representa uma tentativa de solidificar a origem aracnídea apresentada em Gênese.

O grande destaque da revista acaba sendo Thor, não tanto pelos argumentos, mas pela arte primorosa de John Buscema e Jerry Ordway.

Buscema mostra que ainda é um dos melhores desenhistas dos quadrinhos e o nanquim de Ordway valoriza bastante seus traços.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.