La Dansarina

Por Isa Oliveira
Data: 27 março, 2020

La DansarinaEditora: Quadro a Quadro (1ª edição) e Jupati Books (2ª edição) – Edição especial

Autores: Lillo Parra (roteiro) e Jefferson Costa (desenhos).

Preço: R$ 58,00

Número de páginas: 128

Data de lançamento: Outubro de 2015 (Quadro a Quadro) e Maio de 2017 (Jupati)

Sinopse

Início do Século 20. A gripe espanhola assola a cidade de São Paulo, um momento pouco conhecido da nossa História, com muitas mortes em decorrência da epidemia.

O menino Petro tem a missão de dar um enterro digno a sua mãe, vítima da doença, enquanto busca no amor o consolo para a dor da perda.

A narrativa retrata a saga deste jovem para enterrar sua mãe em uma capela muito distante, lugar onde ela desejava ser sepultada.

Positivo/Negativo

Lillo Parra e Jefferson Costa apresentam nesta obra, aqui na versão publicada pela Jupati, uma narrativa tocante, histórica e poética. Na busca de realizar o desejo da mãe, o garoto se vê sozinho enfrentando muitas adversidades, desde a solidão a desconhecidos e pessoas de má índole.

Pequeno, perdido, sozinho e carregando o corpo da mãe há muitos dias em decomposição, o menino ganha ajuda de pessoas complacentes com sua dor. Mas, ao mesmo tempo, enfrenta situações de perigo.

Acompanhado da visão de uma dançarina que sempre o acompanha, guiando-o e protegendo-o dos males. É a clara metonímia da figura da dançarina espanhola com o nome da doença que assolava a cidade.

Outro ponto a se destacar são os trechos traduzidos para o espanhol, carregam a marca da imigração estrangeira no Brasil em um período que o mundo vivia a assolação da grande guerra.

A trama deixa claro que esta foi a mola propulsora para a entrada de doenças não tropicais em nosso país, então despreparado para enfrentar uma epidemia de tamanha proporção que atingira toda a população em um período de guerra.

A beleza dos traços de Jefferson Costa, que passou a ser mais conhecido pelo grande público em Jeremias – Pele, sua parceria com o roteirista Rafael Calça que lhes rendeu o Prêmio Jabuti em 2019, retrata uma passagem pouco comentada da nossa História.

Os desenhos convidam o leitor a sentir as agruras do menino, um pequeno brasileiro que é um retrato da situação das crianças órfãs em nosso país. Jefferson traduz graficamente esta história tocante de coragem e determinação. Difícil não se emocionar com a luta do garoto para honrar o desejo de sua mãe. Sentimentos como fé, dor, angústia e solidão parecem saltar das páginas.

Jefferson Costa tem como marca a capacidade de mostrar as cicatrizes daqueles que enfrentam as dificuldades, a realidade periférica. Em La Dansarina, como em outros de seus trabalhos, o autor aborda questões sociais, de luta pela sobrevivência e dignidade, desta vez com um olhar histórico, político e crítico.

A primeira publicação desta graphic novel, pela Quadro a Quadro, foi vencedora do 28º HQ Mix de Melhor Edição Especial Nacional e rendeu a Lillo Parra o troféu de Melhor Roteirista.

A edição da Jupati tem capa cartonada e é impressa em papel off-set. E este último detalhe é o único senão do álbum: o papel “chupou” muita tinta, deixando a impressão mais carregada e diminuindo o impacto de muitas cenas. Em comparação com a primeira versão da obra, em couché, a diferença chama a atenção.

La Dansarina retrata um cenário muito similar, no quesito do contágio e da disseminação, ao que o Brasil e o mundo vivem hoje com o Covid-19. A diferença é que, na época do pequeno Petro, não era possível ficar em casa.

Classificação:

4,5

• Outros artigos escritos por

.

.

.