Mayara & Annabelle – Volume 1

Por Audaci Junior
Data: 27 novembro, 2015

Mayara & Annabelle – Volume 1Editora: Fictícia – Série em cinco edições

Autores: Pablo Casado (roteiro) e Talles Rodrigues (arte)

Preço: R$ 25,00

Número de páginas: 72

Data de lançamento: Dezembro de 2014

Sinopse

Mayara era a principal assistente técnica em combate da Secretaria de Atividades Fora do Comum de São Paulo (Secafc-SP), até o dia em que investigou onde não devia.

Quase exonerada, acabou transferida para a secretaria do Ceará, onde se encontra Annabelle, assessora técnica em magia e única funcionária da Secafc-CE, além do próprio Secretário.

As duas precisam dividir o espaço da minúscula sala a contragosto. Mas as diferenças devem ser colocadas de lado quando uma ameaça não vista há quase vinte anos emerge em Fortaleza sem explicação aparente.

Positivo/Negativo

São vários ingredientes no liquidificador que gera Mayara & Annabelle: uma pegada dinâmica do mangá, boas sacadas de humor, ferramentas de um RPG movido à espada e magia, uma trama envolvendo conspirações demoníacas e um capacho de “bem-vindo” estendido para o entretenimento.

Os autores brincam com o ócio no serviço público, porém não relegam a mera piada estereotipada. Eles criticam a falta de verba dos setores (mesmo sendo fictícios), mas há uma justificativa para não se ter tantas “atividades fora do comum” no Ceará até a chegada da Mayara.

Essa falta de ação e a burocracia molda a ruiva Annabelle, descolada e versada em magia, que se emociona com o episódio de The Vampire Diaries e se preocupa em pegar um bronze nas praias cearenses, colhendo a antipatia da recém-chegada ninja paulistana com traços orientais Mayara.

Aos poucos, tanto o enredo conspiratório quanto as personalidades diferentes das protagonistas encontram seu norte, colocando de forma natural elementos bem característicos do Nordeste mesclados ao universo fantástico do álbum, como caranguejos gigantes e termos regionais.

O traço despojado e cartunesco de Talles Rodrigues (autor da reportagem em HQ Pânico no José Walter) possui uma pegada angulosa e linhas de ação que fazem referência ao estilo japonês.

O quadrinhista se esforça para extrair uma diagramação mais dinâmica quando as sequências de ação pedem. A arte também ganha robustez e charme com os tons de cinza e os detalhes alaranjados.

O uso inteligente de metalinguagem – como os balões que representam a cacofonia da agitada São Paulo “espremendo” a personagem – poderia ser uma constante ao longo das páginas pela sua evocação criativa. Infelizmente, não acontece.

Roteirista ao lado de Hector Lima do ótimo Sabor Brasilis, Pablo Casado constrói uma história simples, mas cheia de energia, sem apelar, com bons diálogos e direito a gancho para o segundo volume lançado neste mês (viabilizado por meio do financiamento coletivo do Catarse). De acordo com o projeto, haverá mais três números para fechar o arco.

Casado ainda brinca com bordões conhecidos no mundo televisivo, musical ou da internet como o “a-ham, Cláudia…” (o desdém da Xuxa por uma “baixinha” no seu programa infantil), “Como assim, Bial?” (referente ao jornalista-poeta-apresentador do Big Brother Brasil) ou “Chupa que é de uva” (esta uma expressão mais regional, refrão de um forró “de plástico”).

A edição do selo Fictícia tem capa tríplex, formato 17 x 26 cm e uma boa impressão em papel pólen. O álbum chegou a ser indicado ao troféu HQ Mix, na categoria Melhor Publicação Independente.

Diversão garantida, Mayara & Annabelle é uma HQ com sotaque próprio, que se sobressai com as personalidades fortes da sua dupla. Que venha o próximo volume e que seja tão bem afiado como este na linguagem mágica do entretenimento.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

  • Li o número 1 ontem, o 2 vai hoje! Show!

    • Onde você encontrou? Quero muito o vol. 1 mas nao sei onde encontrar.