Superman # 1 – Renascimento

Por Thiago Rique
Data: 2 março, 2018

Superman # 1 (Renascimento)Editora: Panini Comics – Revista mensal

Autores: Peter J. Tomasi e Patrick Gleason (roteiro), Doug Mahnke (desenhos), Jamie Mendonza (arte-final) e Will Quintana (cores) – Originalmente em Superman Rebirth # 1;

Peter J. Tomasi e Patrick Gleason (roteiro), (desenhos), Mike Gray (arte-final) e John Kalisz (cores) originalmente em Superman # 1.

Preço: R$ 7,50

Número de páginas: 48

Data de lançamento: Abril de 2017

Sinopse

Superman – Renascimento – Enquanto tenta manter sua promessa a Clark de sepultá-lo ao lado de seus pais, em Smallville, Lana Lang acaba encontrando outro Superman vindo de um universo extinto que estava aguardando sua história pessoal se repetir com seu “irmão” tombado, esperando a volta dele dos mortos.

Ao ajudar Lana, este Homem de Aço pode entender qual seu papel no futuro de sua segunda Terra adotiva.

O Filho do Superman – Parte Um – Jonathan é um menino de 10 anos, tem brinquedos, estuda e ainda possui suas tarefas dentro da fazenda da família. Mas seu pai é ninguém menos que o Superman, e ele é um híbrido kryptoniano/terráqueo, dois fatos decisivos para transformar a vida do garoto.

Positivo/Negativo

Uma das melhores edições estreladas pelo Superman nos últimos anos e, quiçá, nas últimas três décadas. Superman # 1 é um tributo às várias versões do personagem e gerações de fãs, inclusive aqueles da versão clássica, extinta com Crise nas Infinitas Terras.

Inegavelmente, porém, o foco são os últimos quase 40 anos desde sua reformulação por John Byrne, passando por sua morte e seu retorno até a presente fase dos Novos 52. Todos os leitores têm sua fatia de felicidade aqui, até aqueles lamentando os eventos do encadernado Superman – Fim dos Dias.

A revista tem em seu mix Superman – Renascimento, responsável por colocar em movimento a nova direção da editora para o personagem, e o primeiro volume de Superman publicado originalmente nos Estados Unidos, quando o título teve a numeração reiniciada de novo. Ambas as tramas têm a colaboração da dupla Tomasi e Gleason, conhecidos pelos fãs dos Lanternas Verdes e do Batman.

Agora trabalhando com o Superman, o foco deles é explorar a dinâmica do herói com seu filho de 10 anos, Jon, e o resultado é nada menos do que espetacular. A forma como Tomasi representa a personalidade confiante do Homem de Aço e a maneira como este pode enfim exercer sua figura paternal diretamente com um filho dá todo o tom e charme de duas narrativas muito cativantes.

Doug Mahnke, outro veterano artista do Superman, faz seu retorno breve, mas incrível, ao ilustrar um verdadeiro resumo para os leitores. O desenhista mostra-se em ótima forma, com um traço ainda mais bem trabalhado e detalhista, capaz até de redimir certos elementos datados dos anos 1990, como o cabelo comprido do Superman, após seu retorno da morte.

Enquanto a primeira história serve de introdução para os últimos eventos envolvendo tanto o falecido Superman, quanto a vida deste outro Homem de Aço; a segunda define o foco da revista e começa o primeiro arco, O Filho do Superman, responsável por colocar definitivamente Jon em foco como o novo Superboy da DC.

Já Gleason assume o lápis de vez na segunda trama, originalmente o primeiro volume da nova Superman nos EUA. Com a finalização de Mike Gray, sua arte mostra o dinamismo de sempre, e a forma como apresenta a jovialidade de Jon e a imponência do Superman é marcante e um elemento fundamental para a audiência se conectar aos dois.

Superman tem uma revista irmã, Action Comics, e funciona muito melhor se lida primeiro. Vale apontar aos fãs que as duas têm um foco diferenciado: enquanto Action a abordagem, como o próprio título evoca, trará aventuras mais focadas em ação, Superman será centrada na relação do herói com seu filho.

Assim, com as duas publicações sendo editadas no Brasil em revistas diferentes, que cada leitor escolha a sua, embora seja necessário dizer que ambas se encontram em ótima fase e merecem ser conferidas.

A Panini ainda trouxe como bônus uma entrevista com Tomasi e Gleason, além de uma prévia com esboços da série Superfilhos, responsável por unir futuramente Jon e Damian, o filho do Batman.

Assim como Action Comics, e repetindo o feito de 2012, quando iniciou a fase dos Novos 52, Superman chega às bancas com duas capas, uma oficial, assinada por Pat Gleason, e outra variante, por Mahnke. Ambas são fantásticas.

Superman # 1 é leitura essencial para os fãs do personagem, curiosos e aqueles apreciadores de uma abordagem ao mesmo tempo clássica e inédita do Homem de Aço: agora ele é pai e isso, por enquanto, é maravilhoso.

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.

.

.

  • Eduardo Roque

    Ops, em cima era supers